Tamanho do texto

Pesquisa sobre endividamento da CNC também registrou crescimento de 0,03 ponto percentual nas famílias inadimplentes em janeiro, com 22,7%

Brasil Econômico

De acordo com CNC, cartão de crédito representa  principal dívida de 77,3% das famílias
shutterstock
De acordo com CNC, cartão de crédito representa principal dívida de 77,3% das famílias

Informações divulgadas nessa quinta-feira (2) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontaram que no mês de janeiro, o percentual de famílias endividadas foi de 55,6%. De acordo com a CNC, o resultado diminuiu, sendo considerado o menor desde junho de 2010.

LEIA MAIS: Endividamento atinge 56,6% das famílias brasileiras, o menor índice desde 2012

Os dados foram retirados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) da CNC , mostrando uma melhora na sazonalidade do período. Em dezembro de 2016, o percentual era de 56,6%;  0,1 ponto percentual menor do que o obtido esse ano. Em relação a janeiro do ano passado, o percentual chegou a 61,6%, o que evidenciou um maior endividamento por parte das famílias, com 6 pontos percentuais de diferença.

Também em janeiro e mesmo com a diminuição de famílias endividadas, o percentual de famílias que não tem perspectiva de pagamento de dívidas (inadimplentes) aumentou 0,6 ponto percentual na passagem de dezembro para janeiro desse ano. “A queda está relacionada ao fato de que muitas famílias receberam o décimo terceiro salário, o que permitiu a quitação de dívidas, além da redução do crédito, associada a um menor consumo das famílias”, comentou a economista da CNC, Marianne Hanson.

Inadimplência

O percentual de famílias que tinham dívidas ou contas atrasadas no início de 2017 foi de 22,7%; 0,03 ponto percentual menor em relação aos 23% registrados em dezembro do ano passado. O resultado foi considerado o menor desde novembro de 2015, com queda de 1 ponto percentual na comparação anual.

LEIA MAIS: Fiat e Peugeot chamam proprietários para recall; Procon-SP orienta como proceder

Em relação às famílias que afirmaram continuar inadimplentes, o número aumentou, indo de 8,7% em dezembro de 2016 para 9,3% em janeiro deste ano. Vale ressaltar que em janeiro do ano passado esse percentual era de 9%.

Segundo a CNC, um leve aumento na proporção de famílias que se consideram muito endividadas foi observado. Em dezembro do ano passado, o resultado era de 13,8%, passando para 13,9% em janeiro de 2017. Na comparação anual, foi registrado um aumento de 0,3 ponto percentual.

Atraso

A pesquisa ainda revelou que na comparação anual, o tempo médio de atraso para o pagamento de dívidas cresceu 1 dia, indo de 64 em janeiro de 2016 para 65 dias em janeiro deste ano. Em média, o comprometimento acerca das dívidas foi de 7 meses, onde 33% afirmaram ter dívidas por mais de um ano.

A CNC também enfatizou que entre as famílias endividadas, 21,2% têm mais da metade da sua renda mensal comprometida devido a pagamento de dívidas, sendo o cartão de crédito o principal débito para 77,3% dos entrevistados. Em seguida ficam os carnês e o financiamento de carros, com 14,1% e 10,1%, respectivamente.

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS: Boleto vencido poderá ser pago em qualquer banco somente a partir de julho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.