Brasil Econômico

Segundo FGV,  alta de 5,2 pontos no indicador de percepção com a Situação Atual dos Negócios contribuiu para o aumento no Índice de Situação Atual em janeiro
iStock
Segundo FGV, alta de 5,2 pontos no indicador de percepção com a Situação Atual dos Negócios contribuiu para o aumento no Índice de Situação Atual em janeiro

Pesquisa divulgada nessa terça-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre –FGV) apontou alta de 4,1 pontos no Índice de Confiança de Serviços (ICS) em janeiro. Se comparado a dezembro do ano passado, quando o indicador fechou o ano com resultado negativo de 1,5%, o aumento foi de 5,6 pontos percentuais. Com o resultado atual, a confiança do setor de serviços atingiu 80,4 pontos, ultrapassando a marca dos 80 pontos pela primeira vez desde fevereiro de 2015.

LEIA MAIS: Economia brasileira continuará estagnada, diz Fundação Getulio Vargas

As informações foram retiradas da Sondagem da FGV , indicando que das 13 atividades pesquisadas, 11 apresentaram alta da confiança em janeiro de 2017.  Devido a isso, o Índice de Situação Atual (ISA-S) aumentou 4,7 pontos, indo para 74,3 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE-S) subiu 3,2 pontos, registrando 86,6 pontos.

De acordo com o consultor da FGV, Silvio Sales, a alta do indicador evidencia a melhora na percepção abrangente as condições de negócios, tanto em relação a fatores atuais quanto a expectativas futuras. Para ele, o resultado é favorável principalmente para a Sondagem de Serviços nesse início de ano.

“A reação representa uma redução no pessimismo das empresas uma vez que o índice ainda se encontra em patamar historicamente muito baixo. De todo modo, este resultado pode sinalizar o início de reação no ânimo empresarial em resposta a um contexto de inflação em queda e de uma perspectiva de melhora nas condições de crédito”, afirmou Sales.

Você viu?

LEIA MAIS: Brasileiro estima inflação menor nos próximos 12 meses, aponta FGV

Os dados divulgados indicam que a maior contribuição para a alta de 4,7 pontos no Índice de Situação Atual em janeiro é consequência do aumento de 5,2 pontos no indicador de percepção com a Situação Atual dos Negócios.  Vale ressaltar que, também em janeiro, o indicador registrou 74,4 pontos.  Em relação aos indicadores que integram o Índice de Expectativas, o destaque foi dado à Tendência dos Negócios para os seis meses seguintes, que atingiu 90,3 pontos, com variação de 4,5 pontos.

A Sondagem do Setor de Serviços de janeiro ainda mostrou que em comparação a dezembro de 2016, o Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) do setor teve queda de 0,5 ponto percentual, passando para 82,3%.

Setores de Serviços

Segundo o Ibre-FGV, a alta de 4,1 pontos no ICS em janeiro impactou três dos quatro segmentos mais importantes no início de 2017. Consultores da Fundação aproveitaram para ressaltar que os Serviços de Informação e Telecomunicações se destacaram entre os três segmentos que tiveram alta em dezembro, sendo os Serviços de Transporte, o segmento exceção.  

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS: Inflação medida pelo IGP-DI fecha 2016 em 7,18%, aponta  FGV

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários