Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
shutterstock
Rombo das contas públicas atinge recorde em 2016, segundo o Banco Central


Balanço do Banco Central (BC) divulgado nesta terça-feira (31) aponta que as contas do setor público, que envolvem os gastos do Governo Federal, dos Estados, Municípios e das estatais, tiveram um deficit de R$ 155,8 bilhões em 2017. O montante representa 2,47% do Produto Interno Bruto (PIB) e foi considerado pelo BC como o maior rombo das contas públicas registrado no Brasil desde 2001.

LEIA MAIS: Brasil tem 12,3 milhões de desempregados no 4º tri; maior índice desde 2012

Em 2015 o deficit foi de R$ 111,2 bilhões, o que representa 1,85% do PIB. Em dezembro, o deficit apurado pelo Banco Central foi de R$ 70,7 bilhões. No período, o Governo Central, os governos regionais e as empresas estatais apresentaram deficit de R$64,2 bilhões, R$6,1 bilhões e R$422 milhões, respectivamente.

Dívida pública

A Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) alcançou R$2.892,9 bilhões, ou seja, 45,9% do PIB em dezembro. O valor teve alta de 2,1 p.p. do PIB em relação ao mês anterior (outubro). O deficit primário no mês de dezembro, a valorização cambial de 4,1% e os juros nominais apropriados foram os principais responsáveis por essa elevação, informou a nota do Banco Central.

O BC informou ainda que no ano, houve elevação de 10,3 p.p. na relação dívida liquida do setor público e PIB, decorrente do impacto da incorporação de juros nominais (aumento de 6,5 p.p.), da valorização cambial de 16,5% no período (aumento de 3,2 p.p.), do deficit primário (aumento de 2,5 p.p.) e do efeito do crescimento do PIB nominal (redução de 1,7 p.p.).

LEIA MAIS: Governo Central registra maior deficit primário da história em 2016

A Dívida Bruta do Governo Geral - DBGG (Governo Federal, INSS, governos estaduais e governos municipais) alcançou R$4.378,5 bilhões em dezembro e representou 69,5% do PIB, reduzindo-se 1,0 p.p. do PIB em relação ao mês anterior. No ano, houve incremento de 4,0 p.p. na relação DBGG/PIB.

Juros nominais

Os juros nominais do setor público consolidado, apropriados por competência, alcançaram R$34,5 bilhões em dezembro, comparativamente a R$41,3 bilhões em novembro. O Banco Central informou que o resultado favorável das operações de swap cambial, que tiveram ganho de R$ 3,9 bilhões, impactaram na redução do juros nominais.  No acumulado no ano, os juros nominais totalizaram R$407 bilhões (6,46% do PIB), reduzindo-se 1,90 p.p. do PIB em relação ao ano anterior.

O resultado nominal do setor público consolidado, que inclui o resultado primário e os juros nominais apropriados, foi deficitário em R$105,2 bilhões em dezembro. No ano, o deficit nominal alcançou R$562,8 bilhões (8,93% do PIB), comparativamente a deficit de R$613 bilhões (10,22% do PIB) no ano anterior.

O deficit nominal do mês foi financiado mediante expansões de R$114 bilhões na dívida bancária líquida e R$26,4 bilhões nas demais fontes de financiamento interno, que incluem a base monetária, contrabalançadas, parcialmente, pelas reduções de R$33,9 bilhões na dívida mobiliária e de R$1,2 bilhão no financiamento externo líquido.

* Com informações da Agência Brasil 

LEIA MAIS: Apesar do deficit recorde, Meirelles acredita em superávits com teto de gastos


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários