Setor de Infraestrutura recebeu R$ 25,9 bilhões em investimentos do BNDES
Agência Brasil
Setor de Infraestrutura recebeu R$ 25,9 bilhões em investimentos do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social desembolsou R$ 88,3 bilhões para projetos de investimento em 2016. O destaque foi a atuação no curto prazo no financiamento do capital de giro das empresas brasileiras através do Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda (BNDES Progeren).

LEIA MAIS: Com crescimento de 52% em 2016, coworking se torna opção para reduzir custos

No contexto de retração do investimento e manutenção do cenário recessivo no segundo semestre de 2016, o programa do BNDES pagou R$ 2,7 bilhões – um acréscimo de 68% em relação ao ano anterior.

A maior parte dos desembolsos foi para o setor de indústrias, com R$ 30,1 bilhões e participação de 34,2% sobre o total liberado. Em seguida veio o setor de Infraestrutura, para o qual foram desembolsados R$ 25,9 bilhões (29,4%).

Fazendo a comparação com o período anterior, houve retração nominal de 35% nos desembolsos totais do Banco. Aprovações, enquadramentos e consultas tiveram queda nominal, de 28%, 16% e 11%, respectivamente.

Capital de giro e MPMEs

O bom desempenho do BNDES Progeren, com mais de 5,9 operações realizadas – crescimento de 230% em relação a 2015 –, contribuiu para o aumento do volume de liberações do Banco para companhias de menor porte. Do total pago pelo programa no ano passado, 72% (R$ 1,94 bilhão) foram destinados às Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs).

Você viu?

LEIA MAIS: Setor de shopping centers projeta alta de 5% nas vendas para este ano

A participação das MPMEs nos desembolsos do Banco aumentou de 27,5% em 2015 para 30,8% sobre o total liberado em 2016, alcançando o montante de R$ 27,2 bilhões. De janeiro a dezembro de 2016, o Banco realizou mais de meio milhão de operações, sendo que 571.445, ou 95,6%, foram com MPMEs. 

Ainda de acordo com o porte da empresa, os segmentos média-grande e grande registraram as maiores retrações em 2016, na comparação com o ano anterior: queda de 44% e 38% nas liberações, respectivamente.

Exportações

Outro destaque relevante nos desembolsos do ano passado foi dado pelo financiamento às exportações do setor de material de transporte (fabricação e montagem de automóveis, embarcações, equipamentos ferroviários e aeronaves). Para o setor, foram desembolsados U$$ 2,8 bilhões - crescimento de 123%, em comparação com o mesmo período anterior.

Perspectiva

A projeção para 2017 é de uma conjuntura mais favorável, com expectativa de recuperação gradativa da economia e da demanda por recursos do BNDES ao longo do ano.

Sinais macroeconômicos recentes, como a queda da inflação oficial, a redução do endividamento das famílias, a perspectiva de queda da taxa de juros e a melhora no nível de confiança no final de 2016 compõem este cenário.

LEIA MAIS: Segmento atacadista empregou mais do que demitiu em novembro

Contribuem para que essa tendência se consolide no médio e longo prazos as novas políticas operacionais do BNDES, com foco no impacto dos projetos e condições mais favoráveis às MPMEs. O Banco também promove medidas de simplificação e ampliação do acesso ao crédito e o lançamento de novas plataformas de relacionamento com o cliente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários