Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
Shutterstock
Banco Central não compra nem vende dólares no mercado futuro desde 13 de dezembro

Em um dia de tranquilidade no mercado financeiro internacional, o dólar comercial voltou a cair e fechou no menor valor em quase dois meses. A moeda norte-americana fechou esta quarta-feira (4) vendido a R$ 3,218, com redução de R$ 0,044 (-1,35%). Este é o menor nível desde 9 de novembro (R$ 3,209).

+ Em acumulado de 2016, preço da cesta básica sobe em todas as capitais

Essa foi a segunda queda seguida do dólar . Na última terça-feira (3), a divisa tinha caído 0,59%. Na sessão de hoje, a cotação operou em queda durante todo o horário de negociação, sem intervenções do Banco Central, que não compra nem vende dólares no mercado futuro desde 13 de dezembro.

O dia foi marcado pelo otimismo no mercado internacional após a divulgação de dados positivos na zona do euro e na China. A atividade empresarial nos países que adotam o euro como moeda encerrou 2016 no maior nível em cinco anos e meio. Ontem, foi divulgado que a produção industrial na China, a segunda maior economia do planeta, subiu mais rápido que o esperado em dezembro e encerrou no maior nível em seis anos.

No mercado de ações, o dia foi de ajuste de expectativas. Depois de subir 3,73% ontem e atingir o maior nível desde o fim de novembro, o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, caiu 0,36%, para 61.589 pontos. As ações da Petrobras, as mais negociadas, caíram 1,19% (papéis ordinários, com direito a voto em assembleia de acionista). Os papéis preferenciais (com preferência na distribuição de dividendos) fecharam estáveis.

+ Vendas de veículos registra pior resultado em 11 anos no País

Swap cambial

As operações de câmbio, chamadas de swap cambial, fizeram com que o Banco Central (BC) tivesse lucro de R$ 75,562 bilhões em 2016 nessas transações, informou o banco nesta quarta-feira (4). No ano anterior,  o BC amargou prejuízo de R$ R$ 89,657 bilhões nessas operações.

O Banco Central realiza operações de swap cambial desde 2011. Com ela é possível intervir no câmbio sem comprometer as reservas internacionais, sendo que a instituição vende contratos de troca de rendimento no mercado futuro. Apesar de serem em reais, as operações são atreladas à variação do dólar.

+ Firjan diz que indústria pode perder cerca de R$ 66 bilhões com feriados

O lado negativo da operação é que nos meses em que o dólar sobe, o BC tem prejuízo com as operações de swap. Quando a cotação cai, a instituição registra lucro como o divulgado nesta quarta-feira (4).

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários