Tamanho do texto

O indicador sinalizou que 49,3% das MPEs têm conseguido manter as finanças em dia e isso resulta na menor procura por crédito no mercado

Cerca de 84,4% das micro e pequenas empresas  (MPEs) não têm intenção de contratar crédito nos próximos três meses, enquanto outras 6,9% admitem essa possibilidade. É o que aponta o indicador mensal do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes (CNDL).

+ MEIs paulistas têm queda de 20,8% no faturamento do 1º semestre de 2016

Taxa de juros alta é um dos fatores que faz as MPEs fugirem da contratação de crédito
iStock
Taxa de juros alta é um dos fatores que faz as MPEs fugirem da contratação de crédito

A explicação para esse receio das MPEs  na contratação de crédito  está relacionado ao momento econômico do País e na preocupação em não ter dívidas de longo prazo, conforme afirmou o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.  “A primeira é que o momento econômico deixa os empresários receosos em assumir compromissos de longo prazo; a segunda é que as micro e pequenas empresas têm mais facilidade para manter-se com recursos próprios e, por isso, a contratação de linhas de crédito não faz parte de sua cultura”, afirmou em nota.

Motivos

O indicador sinalizou  que  49,3% das MPEs têm conseguido manter as finanças em dia e isso resulta na menor procura por crédito no mercado.  A CNDL apontou ainda que outros pontos desestimulam as micro e pequenas empresas sendo eles: a conjuntura econômica com 20% das menções e alta da taxa de juros com 16,1%.

+ Dívidas com a Receita poderão ser parceladas por pessoas físicas e empresas

“Há espaço para que a demanda cresça. Metade da amostra não vê necessidade de contratar, mas a outra metade aponta fatores como insegurança diante da crise e altos juros. Com o devido planejamento, o crédito pode ser uma via de crescimento para os empresários que têm planos de investir”, enfatizou Pinheiro.

Outro dado apurado na pesquisa das entidades apontou que mais de um terço das MPEs, ou seja 37,6%, acreditam que a aprovação de crédito está mais difícil neste momento. Outros 42,9% afirmam que o excesso de burocracia atrapalha a concessão de crédito e 42,5% afirmam que não procuram crédito devido a alta taxa de juros.

Segundo as MPEs entrevistadas pela CNDL e do SPC Brasil, as modalidades de crédito mais difíceis de serem contratadas são empréstimos  com 30,7% das menções, seguida dos financiamentos em instituições financeiras com 17,5% e crédito junto a fornecedores com 13,5%.

+ Renegociação das dívidas é caminho para crescimento sustentável

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.