Agência Brasil

undefined
Creative Commons
Cadastro Positivo fará com que sistema de bons pagadores passe a funcionar e deve reunir até 120 milhões de usuários

Segundo a avaliação de Roque Pellizzaro, presidente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), estima-se que 5,5 milhões de consumidores já são adeptos ao Cadastro Positivo, que fará com que o sistema de bons pagadores passe a funcionar efetivamente devido à inclusão automática dos consumidores nesse cadastro. Roque afirma também que o cadastro pode chegar a 120 milhões de usuários.

 + Consulta Serasa gratuita pelo celular? Agora é possível: veja serviço

Entre as medidas de estímulo à economia, está inserida a inclusão automática do consumidor, sendo a exclusão dependente de manifestações. A mudança será implantada por meio de medida provisória, já que para ter seus dados no sistema, o consumidor ainda precisa aderir ao Cadastro Positivo .  O presidente do SPC Brasil explica que mesmo criado por lei em 2011, o cadastro não funciona efetivamente devido ao número reduzido de consumidores.  

Burocracia atrapalha consumidores

De acordo com Roque Pellizzaro, a adesão ao cadastro tem se tornado muito burocrática devido a atual legislação, o que faz com que os consumidores não consigam conhecer as vantagens de adquirir o mesmo. Usando como exemplo o valor do seguro de carro que é definido pelo perfil de risco dos clientes das seguradoras, Pellizzaro afirma: “O prazo e os juros serão de acordo com o perfil de cada um”, diz acerca do processo de facilitar a liberação de crédito por meio da avaliação do cadastro.

+ Receita abre consulta ao 6º lote do Imposto de Renda 2016
Empresas do setor atualmente têm adotado estratégias a fim de aumentar a adesão, como por exemplo, a Serasa, que tem oferecido o sorteio de R$ 5 mil para quem se tornar adepto ao Cadastro Positivo. Roque Pellizzaro objetiva que, com a concretização da mudança proposta pelo governo, em um ano o Cadastro Positivo tenha volume de dados suficientes para funcionar efetivamente.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou em novembro, a criação da Gestora de Inteligência de Crédito (GIC), que vai concorrer diretamente com as empresas Serasa Experian, Boa Vista SCPC e SPC Brasil. Com a proposta de criar um bureau de crédito em 2017, a união do Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Itaú e Santander - os cinco maiores bancos no País – também é uma opção para alavancar e potencializar o Cadastro Positivo. 

+ Aplicativo ajuda no resgate dos créditos da Nota Fiscal Paulista 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários