Tamanho do texto

O saldo ficou positivo em US$ 2,531 bilhões em outubro até a última sexta-feira (21), afirmou o Banco Central. Lei de Repatriação tem influência direta

Agência Brasil

Com a chamada Lei de Repatriação, o governo espera reforçar o caixa do Tesouro com os recursos
Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas
Com a chamada Lei de Repatriação, o governo espera reforçar o caixa do Tesouro com os recursos

O saldo da entrada e saída de dólares do País ficou positivo em US$ 2,531 bilhões em outubro até a última sexta-feira (21), informou o Banco Central (BC) nesta terça (25). O saldo está positivo depois de cinco meses seguidos de resultados negativos. Em setembro, as saídas de dólares superaram as entradas em US$ 5,539 bilhões.

+ Repatriação: entenda o processo de regularização de ativos no exterior

Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, certamente a repatriação de recursos contribui para esse resultado positivo. Ele destacou que, pelo segmento financeiro, entrou US$ 1,6 bilhão entre os dias 19 e 21 de outubro. “Isso pode estar refletindo um ingresso mais forte dessa origem”, disse.

Reforço no caixa do Tesouro

Com a chamada Lei de Repatriação, o governo espera reforçar o caixa do Tesouro com os recursos. O prazo para adesão ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária começou em abril e termina no dia 31 deste mês.

+ Repatriação de recursos já rendeu R$ 6,2 bi ao governo, diz Planejamento

A lei permite a regularização de recursos, bens ou direitos remetidos ou mantidos no exterior ou repatriados por residentes ou domiciliados no País, que não tenham sido declarados ou que tenham sido declarados incorretamente. Para regularizar os recursos, o contribuinte paga 15% de Imposto de Renda e 15% de multa, totalizando 30% do valor regularizado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.