Tamanho do texto

Segundo a FecomercioSP, comportamento do consumidor é reflexo de uma expectativa mais otimista em relação ao futuro da economia no Brasil

Índice de Intenção de financiamento mostra aumento no interesse do consumidor por crédito
iStock
Índice de Intenção de financiamento mostra aumento no interesse do consumidor por crédito

Uma pesquisa feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) na cidade de São Paulo, com 2,2 mil pessoas, mostrou que o interesse do consumidor por financiamentos teve alta no mês de setembro.

LEIA:  Endividamento das famílias cresce em agosto e atinge 58,2%, diz CNC

Segundo a federação, esse comportamento do consumidor é reflexo de uma expectativa mais otimista sobre o futuro da economia, mesmo frente ao grande índice de desemprego e da oferta instável de crédito. 

“Quase 10% dos consumidores paulistanos estão dispostos a tomar crédito, bem próximos dos 10,2% da média histórica”, diz a entidade, em nota divulgada nesta quarta-feira (28).

A constatação foi dada por meio do Índice de Intenção de Financiamento, um dos indicadores que fazem parte da Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE). Ele teve aumento de 24,9% em setembro, passando de 15,3 pontos no mês anterior para 19,1. Na comparação com o mesmo mês de 2015, houve lelevação, de 0,1%.

LEIA MAIS:  Taxa de juros do cheque especial atinge nível recorde, diz Banco Central

Em relação ao Índice de Segurança de Crédito, que faz a avaliação da capacidade de pagamento de dívidas, houve queda de 3,1% em relação a agosto, chegando a 81,7 pontos em setembro. No comparação com o mesmo período no ano anterior, a redução foi ainda mais significativa, de 4,9%.

Investimentos

A pesquisa também mostrou que 60,2% das famílias tinham na poupança o principal destino dos seus recursos no mês de setembro – número 4,1 pontos percentuais mais baixo que o verificado em agosto e também menor do que em setembro de 2015(69,3%). “Apesar de ainda ser a favorita, a poupança perdeu espaço ao longo dos últimos meses tanto para a renda fixa quanto para a previdência privada, diante de juros nominais de 14,25% e do envelhecimento da população”, explicou a FecomércioSP.

De acordo com a FecomercioSP, a proporção de pessoas com aplicações em renda fixa teve aumento de 3,6 pontos percentuais, passando de 17,7% e chegando a 21,3% em setembro. No mesmo mês em 2015, essa taxa era de 17,5%.

LEIA TAMBÉM:  Mulheres têm 30% menos chances de promoção que homens, diz estudo

Além do aumento de interesse do consumidor por crédito, a  FecomercioSP também  avalia que os investimentos feitos em ações podem ser fortalecidos a partir dos próximos meses, como efeito de uma melhora na economia e também frente aos preços mais baixos dos papéis depois de um período de desvalorização dos negócios.

*Com informações da Agência Brasil