Brasil Econômico

undefined
iStock
As maneiras de passar pela crise positivamente, deixando negócios “a salvo” são cada vez mais criativas e inovadoras

A crise já não é mais novidade para ninguém, já se falou exaustivamente sobre ela e suas consequências. Dessa maneira, é preciso buscar saídas para driblar e superar os obstáculos externos, colocando seu negócio em boa posição no mercado. Sim, é possível fazer isso segundo o consultor e sócio da empresa de consultoria e gestão corporativa, Tiex, Fábio Yamamoto.

Segundo ele, as maneiras de passar pela crise positivamente, deixando os  negócios  “a salvo” são  cada vez mais criativas e inovadoras. “O segredo é aprender com os erros, e mesmo no meio do furacão, saber questionar as atitudes tomadas para se ter êxito no futuro”, defende.

Para Yamamoto, todo empreendedor precisa refletir sobre o que realmente importa, sobre o que deve ser feito efetivamente a fim de sair "de pé" da crise e mais fortalecido. Veja 10 dicas do consultor sobre como aumentar a rentabilidade, melhorar a gestão e impulsionar o seu negócio.

1. Pense grande

“Pensar grande e pensar pequeno dá o mesmo trabalho...”, defende  o megaempresário brasileiro Jorge Paulo Lemann. Desse modo, a dica é, ‘apesar dos pesares’, pense grande, tenha metas agressivas, aspire a grandes objetivos. Isso lhe trará uma visão mais ampla do mercado. Lembre-se de que somente os grandes desafios enfrentados podem para fazer seu negócio prosperar.

2.  ... Mas não exagere

Não se esqueça de que muitos empreendedores acabam “perdendo o gás” por estabelecer metas inatingíveis.

3.  Motive seus colaboradores

Manter seus colaboradores motivados é fundamental para o sucesso do seu negócio. Afinal, funcionários desmotivados são causa de menor produtividade, de propaganda negativa (interna e externa) e, claro, de prejuízos.

4.  Saiba persistir

Resiliência, perseverança, persistência. Segundo o especialista, os desafios serão inúmeros, enormes. Assim, se você não tiver a capacidade de enfrentar as adversidades que surgirão ao empreender com a cabeça erguida, dificilmente terá sucesso.
É preciso estar preparado para enfrentar as piores tempestades para aproveitar a bonança. E, lembre-se: problemas sempre vêm para qualquer um.

5. Cliente é a razão de tudo

Seu cliente é a razão de sua existência. Se não fosse por eles, os empreendedores de todo o mundo não teriam por que levantar da cama. Desse modo, mais do que obedecer à velha máxima de que “o cliente tem sempre razão”, sua empresa deve cativar seu público-alvo, fidelizando e criando um relacionamento saudável.  

+ Cinco lições sobre o pequeno mundo dos negócios que você deve aprender

Como fazer isso? Bom, somente ao oferecer a excelência de produto ou serviço você poderá conquistar a clientela completamente.  Também é importante entender que, muitas vezes, a relação cliente-fornecedor vai além do aspecto puramente comercial, pois envolve muitas vezes parceria e identificação.

6. Não se acomode

O primeiro passo para o fracasso é achar que conquistou tudo. Quando um empreendedor acha que já chegou “ao Paraíso”, que não tem mais nada a conquistar, é aí que ele começa a morrer.
Seu negócio vai bem? Então, comece a pensar: o que existe depois do topo? É sempre possível ir além, sempre é possível melhorar, aprimorar, manter a aquele pequeno desconforto de que é possível fazer mais...  Por isso, a dica é: se incomode, não se acomode.

7. Você terá inúmeros chefes

Um erro muito comum de empresários iniciantes é de achar que, por ser autônomo, não terá chefe. Todavia, caso você faça tudo certo, o que acontecerá é exatamente o contrário: não terá apenas um, mas vários! Afinal, cada cliente será um deles.

Portanto, o empresário deve se cobrar, tomando como base o que houver de melhor no mercado e, consequentemente, a ruína do seu empreendimento estará longe.

8. Dividir para conquistar

O tempo é o maior limitador do crescimento, já que é impossível ultrapassá-lo, vencê-lo.

Por isso multiplicar o tempo pode ser uma saída, talvez a única. Como fazer isso? Bem, compartilhe tarefas, responsabilidades e, claro, resultados com outras pessoas. Saiba delegar e reconhecer que precisa, sim, de ajuda para a melhora de seu negócio.

Já pensou em, além de contratar funcionários para sua equipe, abrir oportunidade para sócios? Essa é uma possibilidade que não deve ser descartada em tempos de crise, segundo Yamamoto. “Dividir o bolo não deve ser encarado como algo negativo, como uma perda, pois o objetivo é ter um pedaço menor de algo muito maior. Você prefere ter 100% de um bolo que vale R$ 1 milhão ou 10% de um bolo que vale R$ 100 milhões?”, destaca ele.

9. Sem imediatismos

Pensar perene, ou seja, em longo prazo, não significa que a empresa vai existir por “toda a eternidade”. Contudo, essa visão mais distante é essencial para que as decisões profissionais não estejam baseadas apenas visando em resultados imediatos.

+ Negócios: nove ideias que você pode pôr em prática enquanto viaja

Como empresário, você deve saber avaliar o impacto que as ações presentes terão sobre o futuro da empresa podem fazer a diferença. Inclusive, pode definir se vale a pena continuar o negócio ou não.

10. Planejamento e mais planejamento

Planejar, planejar, planejar! Não tem jeito. Agora, veja, isso não significa que planejamento é garantia de sucesso, mas, acredite, a falta dele é garantia de fracasso. 

Colocar ideias em prática exige essa etapa de colocar tudo no papel, raciocinar, observar o cenário, pensar em próximos passos.  A dica é: planejar para estabelecer metas, planejar para saber como motivar seus colaboradores, planejar para definir estratégias. Planejamento tem que ser feito de forma criteriosa e deve ter utilidade, não ser feito apenas porque consta nos manuais de administração.

Mesmo os empreendedores que dizem ter construído seus negócios baseados em ‘feeling’ têm esse momento de planejamento – mesmo que isso funcione de maneira intuitiva.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários