Tamanho do texto

Mesmo com a crise é possível colocar seu negócio em boa posição no mercado. Veja dicas de empreendedor para impulsionar empresas na crise.

As maneiras de passar pela crise positivamente, deixando negócios “a salvo” são cada vez mais criativas e inovadoras
iStock
As maneiras de passar pela crise positivamente, deixando negócios “a salvo” são cada vez mais criativas e inovadoras

A crise já não é mais novidade para ninguém, já se falou exaustivamente sobre ela e suas consequências. Dessa maneira, é preciso buscar saídas para driblar e superar os obstáculos externos, colocando seu negócio em boa posição no mercado. Sim, é possível fazer isso segundo o consultor e sócio da empresa de consultoria e gestão corporativa, Tiex, Fábio Yamamoto.

Segundo ele, as maneiras de passar pela crise positivamente, deixando os  negócios  “a salvo” são  cada vez mais criativas e inovadoras. “O segredo é aprender com os erros, e mesmo no meio do furacão, saber questionar as atitudes tomadas para se ter êxito no futuro”, defende.

Para Yamamoto, todo empreendedor precisa refletir sobre o que realmente importa, sobre o que deve ser feito efetivamente a fim de sair "de pé" da crise e mais fortalecido. Veja 10 dicas do consultor sobre como aumentar a rentabilidade, melhorar a gestão e impulsionar o seu negócio.

1. Pense grande

“Pensar grande e pensar pequeno dá o mesmo trabalho...”, defende  o megaempresário brasileiro Jorge Paulo Lemann. Desse modo, a dica é, ‘apesar dos pesares’, pense grande, tenha metas agressivas, aspire a grandes objetivos. Isso lhe trará uma visão mais ampla do mercado. Lembre-se de que somente os grandes desafios enfrentados podem para fazer seu negócio prosperar.

2.  ... Mas não exagere

Não se esqueça de que muitos empreendedores acabam “perdendo o gás” por estabelecer metas inatingíveis.

3.  Motive seus colaboradores

Manter seus colaboradores motivados é fundamental para o sucesso do seu negócio. Afinal, funcionários desmotivados são causa de menor produtividade, de propaganda negativa (interna e externa) e, claro, de prejuízos.

4.  Saiba persistir

Resiliência, perseverança, persistência. Segundo o especialista, os desafios serão inúmeros, enormes. Assim, se você não tiver a capacidade de enfrentar as adversidades que surgirão ao empreender com a cabeça erguida, dificilmente terá sucesso.
É preciso estar preparado para enfrentar as piores tempestades para aproveitar a bonança. E, lembre-se: problemas sempre vêm para qualquer um.

5. Cliente é a razão de tudo

Seu cliente é a razão de sua existência. Se não fosse por eles, os empreendedores de todo o mundo não teriam por que levantar da cama. Desse modo, mais do que obedecer à velha máxima de que “o cliente tem sempre razão”, sua empresa deve cativar seu público-alvo, fidelizando e criando um relacionamento saudável.  

+ Cinco lições sobre o pequeno mundo dos negócios que você deve aprender

Como fazer isso? Bom, somente ao oferecer a excelência de produto ou serviço você poderá conquistar a clientela completamente.  Também é importante entender que, muitas vezes, a relação cliente-fornecedor vai além do aspecto puramente comercial, pois envolve muitas vezes parceria e identificação.

6. Não se acomode

O primeiro passo para o fracasso é achar que conquistou tudo. Quando um empreendedor acha que já chegou “ao Paraíso”, que não tem mais nada a conquistar, é aí que ele começa a morrer.
Seu negócio vai bem? Então, comece a pensar: o que existe depois do topo? É sempre possível ir além, sempre é possível melhorar, aprimorar, manter a aquele pequeno desconforto de que é possível fazer mais...  Por isso, a dica é: se incomode, não se acomode.

7. Você terá inúmeros chefes

Um erro muito comum de empresários iniciantes é de achar que, por ser autônomo, não terá chefe. Todavia, caso você faça tudo certo, o que acontecerá é exatamente o contrário: não terá apenas um, mas vários! Afinal, cada cliente será um deles.

Portanto, o empresário deve se cobrar, tomando como base o que houver de melhor no mercado e, consequentemente, a ruína do seu empreendimento estará longe.

8. Dividir para conquistar

O tempo é o maior limitador do crescimento, já que é impossível ultrapassá-lo, vencê-lo.

Por isso multiplicar o tempo pode ser uma saída, talvez a única. Como fazer isso? Bem, compartilhe tarefas, responsabilidades e, claro, resultados com outras pessoas. Saiba delegar e reconhecer que precisa, sim, de ajuda para a melhora de seu negócio.

Já pensou em, além de contratar funcionários para sua equipe, abrir oportunidade para sócios? Essa é uma possibilidade que não deve ser descartada em tempos de crise, segundo Yamamoto. “Dividir o bolo não deve ser encarado como algo negativo, como uma perda, pois o objetivo é ter um pedaço menor de algo muito maior. Você prefere ter 100% de um bolo que vale R$ 1 milhão ou 10% de um bolo que vale R$ 100 milhões?”, destaca ele.

9. Sem imediatismos

Pensar perene, ou seja, em longo prazo, não significa que a empresa vai existir por “toda a eternidade”. Contudo, essa visão mais distante é essencial para que as decisões profissionais não estejam baseadas apenas visando em resultados imediatos.

+ Negócios: nove ideias que você pode pôr em prática enquanto viaja

Como empresário, você deve saber avaliar o impacto que as ações presentes terão sobre o futuro da empresa podem fazer a diferença. Inclusive, pode definir se vale a pena continuar o negócio ou não.

10. Planejamento e mais planejamento

Planejar, planejar, planejar! Não tem jeito. Agora, veja, isso não significa que planejamento é garantia de sucesso, mas, acredite, a falta dele é garantia de fracasso. 

Colocar ideias em prática exige essa etapa de colocar tudo no papel, raciocinar, observar o cenário, pensar em próximos passos.  A dica é: planejar para estabelecer metas, planejar para saber como motivar seus colaboradores, planejar para definir estratégias. Planejamento tem que ser feito de forma criteriosa e deve ter utilidade, não ser feito apenas porque consta nos manuais de administração.

Mesmo os empreendedores que dizem ter construído seus negócios baseados em ‘feeling’ têm esse momento de planejamento – mesmo que isso funcione de maneira intuitiva.