Tamanho do texto

Foi registrada uma queda de 0,49% na comparação com o mês de julho; dos 22 setores avaliados, 16 apresentaram diminuição no número de empregos

Pequisa feita pela Fiesp e Ciesp indica queda no nível de emprego em 28 das 36 regiões avaliadas
Arquivo/Agência Brasil
Pequisa feita pela Fiesp e Ciesp indica queda no nível de emprego em 28 das 36 regiões avaliadas

No  mês de agosto, a indústria de transformação paulista registrou o fechamento de 11 mil postos de trabalho, queda de 0,49% na comparação com o mês anterior, de acordo com informações de pesquisa divulgada nesta quinta-feira (15) pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp). Considerando o ajuste sazonal, a retração chegou ao patamar de 0,27%.

LEIA:  Receita libera pagamento de restituições do quarto lote do Imposto de Renda 2016

Paulo Francini, diretor titular do Depecon, acredita que a queda registrada na pesquisa da Fiesp e do Ciesp mostra que não houve mudanças no mercado  – no que diz respeito à oferta de empregos na indústria. “É uma continuidade, um sinal de que o emprego continuará caindo e, infelizmente, isto deve prosseguir até o final do ano”, afirma.

Francini também diz que a projeção indica o fechamento de 165 mil postos de trabalho até o final do ano, contra a perda de 235 mil vagas no ano passado. “Este ano vamos perder três estádios de futebol, destes construídos para a Copa, cheios de trabalhadores da indústria", conta.

LEIA MAIS:  Conheça os cuidados que você deve ter ao usar o cartão de crédito

Ainda segundo o diretor, no momento não existe a possibilidade de ver uma tendência nítida de recuperação do cenário. Ele diz também que, entre todas as variáveis, o emprego é sempre a última a sofrer e conseguir se recuperar dos efeitos de uma crise na economia. “Nós ficamos ansiosos por querer enxergar a luz no final do túnel. Por enquanto estamos vendo apenas redução da taxa de queda”, completa.

Setores

De todos os 22 setores que fazem parte da pesquisa do Depecon, 16 deles – ou seja, 73% –apresentaram queda do nível de emprego. Entre os destaques negativos, estão Produtos de Metal, exceto Máquinas e Equipamentos (-2.187 postos); Produtos Alimentícios (-1.981postos) e Produtos de Borracha e de Material Plástico (-1.624 postos). Três destes setores ficaram estáveis e outros três registraram variação positiva.

Regiões

No mês de agosto, entre as 36 regiões avaliadas no levantamento, 28 registraram variação negativa no nível de emprego. Somente qutro delas ficaram estáveis, enquanto outras quatro tiveram crescimento no número de vagas.

LEIA TAMBÉM:  Você é mau atendido? Saiba como resolver problemas com planos de saúde

Revisão do PIB

Além da pesquisa relacionada aos postos de trabalho, a Fiesp também fez alterações na previsão do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil para o ano de 2016. A nova projeção é de que a retração seja de 3%, inferior ao que havia sido divulgado no mês de julho (-3,2%). A entidade segue indicando um alto patamar de crescimento do País para o ano que vem, passando de 0,6% para 0,9%.