Tamanho do texto

“Ao escolher os produtos para seu uso, o consumidor está ‘dizendo’ ao mercado o que deseja. O fornecedor, por sua vez, tem que escutar com atenção e atender à mensagem enviada”, destaca o Procon-SP. Veja dicas

Brasil Econômico

via GIPHY

Fazer a compra da semana ou do mês está cada dia mais salgado para o bolso, não é verdade? Apesar de não conseguir escapar dos altos preços, o consumidor  pode adquirir hábitos e tomar algumas iniciativas que o auxiliem na hora de ir ao supermercado.

A fim de conscientizar o consumidor, o Procon-SP dá dicas para uma compra no supermercado que seja mais “justa”, econômica. Neste guia, a instituição lembra que existe uma diversidade de estabelecimentos, marcas, preços, qualidade e ofertas – o que torna o cliente um protagonista do mercado de consumo. Por isso, deve atuar com consciência para não ser vítima dele.

“Ao escolher os produtos para seu uso, o consumidor está ‘dizendo’ ao mercado o que deseja. O fornecedor, por sua vez, tem que escutar com atenção e atender à mensagem enviada”, destaca o Procon-SP.

Veja dicas e cuidados na hora da compra:

1. Listinha

Sua avó, provavelmente, já faz isso. Que tal seguir a sabedoria dela na hora de fazer suas compras? Anote tudo o que sua casa realmente precisa, colocando o máximo de detalhes possível (como número de unidades por produto). A fim de reduzir o risco de levar produtos desnecessários, nada melhor do que seguir a lista previamente produzida.

2. De olho nos preços

via GIPHY

Outra dica básica, porém que faz toda a diferença é pesquisar os preços nos encartes dos supermercados, que são distribuídos na entrada do estabelecimento, ou nos anúncios publicitários nos meios de comunicação. Tanto faz a fonte, o importante é encontrar melhores ofertas e produtos em promoção.

3.  Calculadora

Uma ideia interessante é ter uma calculadora em mãos durante a compra. Com essa ferramenta, você conseguirá acompanhar o quanto está gastando e, assim, poderá abrir mão de algum produto ou outro, não tão urgentes assim. Também te ajuda a evitar um “susto” na hora de efetivar o pagamento no caixa.

4. Cuidado com ofertas enganosas

Pode ser tentador ver uma oferta de produto no encarte do supermercado. Mas, não saia comprando por impulso: observe se o objeto é compatível com sua apresentação real no ponto de venda, sobretudo se o preço bate com o encarte. Se houver divergências, o consumidor pode exigir o esclarecimento com o gerente, no local, e, dependendo, cabe a denúncia em algum órgão de defesa do consumidor.

5. Sem pressa 

via GIPHY

Para uma compra esperta, é preciso tempo. Afinal, é necessário comparar preços e marcas, ler os rótulos dos alimentos, verificar data de validade e observar condições de embalagem. Ademais, quando não é disponibilizado tempo suficiente, você fica sujeito a comprar por impulso.

6.  Barriga cheia

Provavelmente, você já ouviu falar – ou já viveu esse erro – que ir ao mercado com fome é uma das piores coisas a serem feitas. Sim, é verdade. Quando estamos com vontade de atacar qualquer tipo de comida, ou quando sentimos muita sede, tendemos a comprar uma quantidade exagerada de produtos.

+ Consulta Serasa gratuita pelo celular? Agora é possível: veja serviço

7. Oferta ou marca

Muitas vezes, um produto em oferta não é a melhor escolha para o consumidor. Talvez, ele até esteja mais barato – mas isso será em comparação ao seu preço usual, e não em relação a outros produtos similares de marcas diferentes. Além de olhar o preço, portanto, é preciso comparar com todas as opções disponíveis.

8. Cuidado com as prateleiras

Atenção com algumas estratégias usadas pelas empresas, que são sutis, mas existem: um exemplo são as estratégias de marketing relacionadas à disposição dos produtos nas prateleiras e mesmo no supermercado em geral.

+ Consumidor poderá simular economia em conta de luz

Uma das táticas mais comuns é colocar o produto em oferta nos corredores centrais, distante das gôndolas que contenham produtos similares de marcas diferentes. Isso faz com que o consumidor deixe de comparar o preço desse produto com os demais, de outros fabricantes.

9. Tamanho não é documento

via GIPHY

Produto menor é mais barato? Nem sempre! Embalagens menores podem ser, proporcionalmente, mais caras do que as grandes. Para escolher a melhor opção, você deve ver a relação preço X quantidade.

10.   Fabricado por...

Sabe os produtos que levam o nome do supermercado e que são famosos por serem opções baratas? Observe o nome do fabricante e, então, você descobrirá que ele pode ser o mesmo que das marcas mais caras. Vale a pena ficar de olho.

11.   No caixa

Na hora que suas compras estiverem passando pelo caixa, é legal ficar atento aos valores registrados dos produtos. Pode acontecer de haver diferença entre o preço cobrado e aquele que estava informado na prateleira. Se isso acontecer, o consumidor tem o direito de pagar o menor.

via GIPHY


12. Sacolinhas pra quê?

Uma boa maneira de economizar quase imperceptível, porém eficiente, é no uso de sacolinhas. Evite ter de pagar por elas – leve, sempre, as suas próprias.

13. Cupom fiscal

Lembre-se de guardar o cupom fiscal do caixa (pelo menos durante uma semana) para o caso de precisar trocar algum item.

Com essas dicas, é possível ir mais tranquilo ao supermercado , garantindo compras mais justas e econômicas.