Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
Thinkstock/Getty Images
Dívida; inadimplência

Dados da Boa Vista SCPC anunciados nesta segunda-feira (11) revelam que o consumidor brasileiro está mais inadimplente em relação ao início desse semestre: nos primeiros seis meses de 2016, até junho, houve alta de 2,6% dos calotes. No acumulado de 12 meses – entre julho de 2015 e junho de 2016 contra os 12 meses antecedentes – a elevação chegou a 3,2%.

Ao comparar junho de 2015 e o mesmo mês deste ano, a pesquisa mostra queda de 8,1% na inadimplência sem considerar o ajuste sazonal. Com o ajustamento houve alta de 2,6% na comparação com o mês anterior. Porém,  especialistas acreditam que a situação dos calotes no País é ainda pior do que mostram os indicadores. 

Regionalmente, na análise acumulada em 12 meses, a maior elevação ocorreu na região Centro-Oeste, com 4,6%, seguida das regiões Sudeste (3,3%) e Norte (2,9%). As regiões Sul e Nordeste também obtiveram altas, de 3,1% e 2,2% respectivamente.

Para a instituição, as causas para o crescimento dos calotes no País se deve à crescente deterioração do mercado de trabalho, o que piora o orçamento das famílias e, por fim, leva à elevação dos atrasos nos pagamentos de dívidas e contas. Dessa maneira, após três anos de estabilidade, os números começam a esboçar um aumento da inadimplência dos consumidores ao longo de 2016.

Contudo, na margem, a inadimplência total teve a menor expansão anual desde 2011, início da série histórica revisada da instituição. O número de negativados caiu para 59,1 milhões na passagem de maio para junho de um total de 59,25 milhões na pesquisa anterior.

LEIA MAIS: Inadimplência atinge nível recorde em contas de água, luz e gás, diz Serasa

A quantia atual de inadimplentes equivale a 39,76% da população com idade entre 18 e 95 anos no Brasil. Para um balanço do semestre, mais de dois milhões de brasileiros passaram a fazer parte das listas de inadimplentes somente no ano de 2016, já que em dezembro de 2015 era contabilizado um total de 57,1 milhões de brasileiros com restrição do crédito.

Perfil dos inadimplentes 

Os brasileiros na faixa dos 30 anos são os que mais devem. E as contas de telefone, TV por assinatura e internet foram as que tiveram a maior alta no período.

O indicador de registro de inadimplência é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas informados à Boa Vista SCPC pelas empresas credoras. A região sudeste não entra no indicador devido a entrada em vigor da Lei Estadual nº 15.659, conhecida como 'Lei do AR', que dificulta a negativação de inadimplentes em São Paulo. 

*Com informações da SPC Brasil e CNDL, Boa Vista SCPC e Estadão Conteúdo


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários