Tamanho do texto

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor mede a variação no custo de vida de quem recebe até cinco salários mínimos

O valor efetivamente pago pelos consumidores é representado pelo INPC
iStock
O valor efetivamente pago pelos consumidores é representado pelo INPC

Mesmo que muitos não saibam, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) está diretamente ligado ao dia a dia do brasileiro. Este índice de apontar a variação dos preços encontrados no mercado de varejo, consequentemente apresentando a mudança no custo de vida. Ele é obtido por meio dos índices regionais de preços ao consumido.

LEIA MAIS:  Saiba como o valor do salário mínimo é calculado

Diferente do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a faixa salarial de até 40 salários mínimos, o INPC  trabalha com o limite de até cinco salários. Dessa forma, a variação dos preços é sentida com maior impacto neste índice. 

Existem alguns grupos que já têm o peso maior dentro do índice, como é o caso dos alimentos. Isso faz com que qualquer variação em produtos como arroz, frutas e leite sejam sentidas com mais força dentro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor do que no Índice de Preços ao Consumidor Amplo. 

Esta situação se repete com gastos específicos dentro de grupos. O gás de cozinha, por exemplo, que está dentro do grupo de habitação, é um dos itens que pesam mais neste índice. 

Apesar disso, existe também o caminho contrário. A variação no preço dos automóveis, por exemplo, tem um peso maior no IPCA, pois as pessoas de renda mais baixa não têm estes itens como algo essencial para o seu consumo. 

Como é feito o cálculo

O cálculo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor é feito com dados coletados do primeiro ao último dia de cada mês. Os números são obtidos por meio de pesquisa com estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços. Além disso, também são analisadas concessionárias de serviços de caráter público – como empresas que fazem o transporte de ônibus dentro das cidades – e os valores de aluguel em domicílios. 

Os preços verificados ao final do cálculo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor são aqueles cobrados de forma efetiva. Entram na conta nove diferentes grupos das áreas de produtos e serviços:  alimentação e bebidas; despesas pessoais; artigos de residência; saúde e cuidados pessoais; comunicação; educação; habitação; transportes e vestuário. 

LEIA TAMBÉM:  O que os síndicos podem fazer contra a inadimplência?

Todos estes grupos são divididos em vários itens. Esta divisão faz com que sejam consideradas, ao todo, variações nos preços de 465 subitens na realização do cálculo do INPC.