Tamanho do texto

Em 2015, projeção era de 3,8% do PIB; de acordo com a organização, País deve começar a emergir da retração em 2017

Agência Brasil

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê queda da economia brasileira de 4%, este ano. De acordo com as previsões divulgadas nesta quinta-feira (18) no boletim Perspectivas Econômicas da OCDE, em 2017 o Produto Interno Bruto (PIB) deve ficar estável. Em 2015, a projeção era de queda de 3,8% do PIB.

De acordo com boletim da OCDE, o Produto Interno Bruto (PIB) deve ficar estável em 2017
Gerj/Fotos Públicas
De acordo com boletim da OCDE, o Produto Interno Bruto (PIB) deve ficar estável em 2017

De acordo com a OCDE, o Brasil está passando por uma recessão profunda e só deve começar a emergir da retração em 2017. A China deve continuar a reequilibrar sua economia, desde a produção até os serviços, com previsão de crescimento de 6,5% em 2016 e 6,2% em 2017. A Índia vai continuar a crescer de forma robusta: 7,4% em 2016 e 7,3% 2017, diz a OCDE.

A projeção para o crescimento da economia mundial este ano foi revisada para 3%, menos 0,3 pontos percentuais do que a estimativa anterior.A organização informa que a revisão é resultado, entre outros fatores, de um corte do investimento e de "um risco substancial" de instabilidade financeira. Para a OCDE, a economia mundial continua debilitada e exige reação urgente dos poderes públicos, com mudanças na combinação de políticas para enfrentar o fraco crescimento atual de forma mais eficaz.

A organização ressalta que confiar exclusivamente na política monetária tem se revelado insuficiente para impulsionar a demanda e produzir um crescimento satisfatório, enquanto a política fiscal é contracionista em várias economias importantes e a dinâmica das reformas estruturais está mais lenta.

Para 2017, a previsão de crescimento mundial é 3,3%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas