Estimativa da inflação

Com as dificuldades econômicas que estamos vivenciando mundialmente, devemos ficar ainda mais atentos às emoções. Afinal, os problemas financeiros podem causar transtornos mentais. De acordo com um estudo conduzido pela American Psychological Association, a falta de dinheiro é a principal fonte de estresse das pessoas.

Já segundo o relatório Money and Mental Health Policy Institute, aqueles que estão superendividados possuem até três vezes mais chances de desenvolver problemas graves em comparação aqueles que não têm dívidas.

Falar sobre dinheiro ainda é um grande tabu e existem alguns fatores claros que levam a esses sentimentos. Bem como, a falta de educação financeira, incentivo ao consumo e a maneira como nos relacionamos com o dinheiro deste a infância.

Por essa razão, a educação financeira detém extrema importância. Assim como, precisamos buscar conhecimentos que façam sentido para a nossa realidade atual.

Leia Também

1 – Adote técnicas de planejamento financeiro

Em primeiro lugar, é fundamental ter ciência sobre sua própria realidade. Isso porque este controle de despesas é essencial para saber o que pode deixar de gastar, e se você está gastando o seu dinheiro da forma mais inteligente.

Uma boa maneira de iniciar essa organização financeira de forma simples é anotar em um caderno ou planilha, tudo o que entra e sai de dinheiro no seu dia a dia.

2 – Negocie suas dívidas

Em seguida, o próximo passo é buscar maneiras de negociar as dívidas o mais rápido possível. No entanto, de forma que as parcelas caibam no bolso e não levem a vida financeira para uma situação ainda pior.

3 – Busque conhecimento

Desse modo, no mercado existem uma série de plataformas que visam educar as pessoas, financeiramente, e a intenção é que você encontre aquela que converse, diretamente, com as suas necessidades.

Confire a reportagem completa aqui

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários