Aluguel de imóveis rende menos que poupança em São Paulo e no Rio

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Índice FipeZap de julho apontou um aumento de 1,1% no preço anunciado para a venda de imóveis em 16 cidades. Mas rentabilidade do aluguel continua em queda

Os preços dos imóveis anunciados em 16 cidades brasileiras subiram 1,1% em julho, acumulando alta de 7,3% em 2013, segundo o índice FipeZap, divulgado nesta sexta-feira (2). Em contrapartida, a rentabilidade dos aluguéis no Rio de Janeiro e em São Paulo, as duas cidades monitoradas, continua em queda e já é menor que os ganhos da caderneta de poupança.

Thinkstock/Getty Images
Em São Paulo, rentabilidade das locações caiu de 0,77% em julho de 2008 para 0,47% cinco anos depois

Enquanto os preços do metro quadrado para venda na capital paulista subiram 13,9% nos últimos 12 meses, a mensalidade da locação na cidade caiu de 0,5% do valor total do imóvel para 0,47%. Há exatos cinco anos, a rentabilidade estava em 0,77%, uma desvalorização de 0,30% até agora.

No Rio, onde o valor anunciado para venda subiu 15,4% no último ano, o aluguel anunciado caiu de 0,40% para 0,39% no período. A queda é mais expressiva se comparada a julho de 2008, quando a rentabilidade era de 0,52%, uma diferença de 0,13%.

Nas duas capitais, o rendimento anual do aluguel ficou abaixo da poupança, que rende 5,95% ao ano mais taxa referencial (TR), com a Selic a 8,5%. Em São Paulo, segundo o FipeZap de julho, o rendimento médio do aluguel é de 5,64% ao ano, e no Rio, de 4,68%.

Preços dos imóveis

Variação do valor anunciado do metro quadrado em 16 cidades brasileiras

Gerando gráfico...
FipeZap


Alta acima da inflação

O aumento dos preços anunciados para venda nas 16 cidades monitoradas ficou 2,3 vezes acima do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 2013, que acumula alta de 3,2%. O valor médio do metro quadrado é de R$ 6,9 mil.

Curitiba registrou o maior aumento no mês, de 3,7%, impulsionado pelos bairros de Água Verde e Bigorrilho. Na outra ponta, Belo Horizonte teve o pior desempenho, com variação negativa de 2,4%. O movimento de queda acontece pela terceira vez seguida na cidade. Ela foi a única do índice a desvalorizar o valor médio do metro quadrado.

As metrópoles com maior valorização acumulada em 12 meses foram Curitiba (+19,6), Rio de Janeiro (+15,4%), Niterói (+14,0%), São Paulo (+13,9%) e Porto Alegre (+13,3%). Já a cidade com o menor valor do metro quadrado é Vila Velha (R$ 3.646).

Brasília, a segunda melhor colocada em valor do metro quadrado (R$ 8.437), atrás do Rio de Janeiro, teve a menor alta dos últimos 12 meses, de apenas 0,1%.

ABC Paulista

As três cidades do entorno da capital paulista avaliadas pelo índice – Santo André, São Caetano do Sul e São Bernardo do Campo – também tiveram alta no metro quadrado anunciado em julho. A maior foi em Santo André, de 1,3% (R$ 4.347). Nos últimos 12 meses, o aumento foi de 10,5%.

São Caetano vem em seguida, com alta de 1% em relação a junho, e valorização acumulada de 9,3% desde julho de 2012. O metro quadrado na cidade passou a valer R$ 4.940. São Bernardo registrou aumento de 0,6% ante o mês anterior e acumulou alta de 10,5% em 12 meses, com valor médio de R$ 4.116.

Tanto São Caetano quanto Santo André têm o metro quadrado mais valioso que Salvador (R$ 4.267) e Vitória (R$ 4.234) no mês de julho.

Leia tudo sobre: imóveispreçosFipeZapaluguelinvestimentosfinanças pessoaiscasa própriaigspigrio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas