Brian Krzanich e sua esposa Brandee Krzanich namoravam e trabalharam juntos na Intel entre 1996 e 1998, prática proibida pela fabricante de chips

Brasil Econômico

Brian Krzanich
Divulgação/Intel
Brian Krzanich "renunciou" ao cargo após descoberta de que sua esposa e ele trabalharam juntos na Intel entre 1996 e 1998

A Intel anunciou nesta quinta-feira (21) que  Brian Krzanich não é mais o presidente-executivo da empresa. Oficialmente, o ex- CEO renunciou ao cargo, mas a versão verdadeira é que ele "foi convidado a se retirar" após ser revelado que ele manteve uma relacionamento amoroso com uma funcionária no passado, prática que é proibida pela política interna da companhia.

Leia também: Metade dos profissionais já se sentiu discriminada durante processos seletivos

Num comunicado divulgado à imprensa e aos investidores, a Intel anuncia que "foi recentemente informada de que Krzanich tem um relacionamento consensual antigo com uma funcionária da Intel . Um conselho de investigação interna e externa confirmou a violação da política da Intel de não-confraternização, o que se aplica a todos os gerentes.”

O período do relacionamento, proibido pela companhia, teria acontecido entre 1996 e 1998 quando Krzanick, que já estava na Intel desde 1982, e sua atual esposa Brandee Krzanich eram funcionários da empresa ao mesmo tempo. Brandee, que é formada em Engenharia Química na Universidade do Texas, tinha acabado de se formar e teve passagem de dois anos pela companhia.

Leia também: Empresário abandonado pelos pais na infância fatura R$ 57 milhões com colchões

Com a decisão, a maior fabricante de chips para computadores do mundo espera transmitir uma mensagem aos seus funcionários de que a regra, por mais que possa parecer ultrapassada, vale para todos, incluindo para o chefão da emrpesa. “Dada a expectativa de que todos os empregados irá respeitar os valores da Intel e aderir ao código de conduta da companhia, o conselho aceitou a renúncia de Krzanick.”

O ex-CEO ingressou na empresa como engenheiro na fábrica de processadores da empresa no Novo México. A partir daí, ele escalou na hierarquia da empresa até chegar ao cargo de supervisor da cadeia de suprimentos da companhia em 2007. Cinco anos depois, ele se tornou diretor de operações da Intel e assumiu a presidência-executiva cerca de um ano depois, em maio de 2013.

Leia também: Trabalhador é multado por almoçar três minutos adiantado no Japão

Após cinco anos no cargo, Brian agora será sucedido de forma interino pelo diretor financeiro, Robert Swan, que está na empresa desde outubro de 2016. Na mesma nota em que comunicou a renúncia do ex-CEO, o presidente do conselho da Intel Andy Bryant afirmou que "o conselho acredita firmemente na estratégia da Intel e nós estamos confiantes na habilidade de Bob Swan de liderar a companhia conforme conduzimos uma robusta busca pelo nosso próximo CEO.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.