Segundo Willian Dudley, presidente do Federal Reserve, "rival" americano do bitcoin não seria criado no curto prazo; Japão e Rússia já tem suas moedas

Brasil Econômico

O bitcoin teve um ano bastante emocionante. Na quarta-feira (28), a moeda digital registrou um novo recorde ao superar a marca dos US$ 11 mil e tornou-se uma das 30 maiores moedas do mundo. Desde janeiro, o crescimento é de 1.300%, mas grande parte desse resultado foi registrado nas últimas semanas. Para se ter uma ideia, no início de novembro, a moeda valia pouco mais de US$ 7 mil.

Leia também: Bitcoin bate recorde histórico e se torna uma das 30 maiores moedas do mundo

Não é preciso dizer que é cada vez mais difícil ignorar a moeda digital  – especialmente para aqueles que uma vez a criticaram. Em qualquer conversa envolvendo moedas, é inevitável que o bitcoin seja citado. Este é o caso de William Dudley, presidente do Federal Reserve (Fed), o equivalente ao Banco Central dos Estados Unidos. Segundo a agência de notícias "Reuters", ele foi questionado várias vezes sobre a moeda em compromissos recentes.

Para cofundador da Apple, a moeda digital é um padrão de valor melhor do que o ouro ou o dólar americano
shutterstock
Para cofundador da Apple, a moeda digital é um padrão de valor melhor do que o ouro ou o dólar americano

Na quarta-feira, Dudley falou com um grupo de estudantes e professores da Universidade Rutgers, e suas palavras deixam claro que o Fed está prestando atenção no bitcoin e ao seu crescimento considerável. Segundo ele, a organização está considerando oferecer sua própria moeda digital – como a Rússia está fazendo com o CryptoRuble e o Japão com a J-Coin –, mas essa oferta não se concretizaria em breve.

Leia também: Criptografia quântica de alta velocidade é futuro da cibersegurança

"Hoje, é realmente prematuro falar sobre o Federal Reserve oferecendo moedas digitais", disse Dudley. "Mas é algo que estamos começando a pensar: o que significaria ter uma moeda digital, o que significaria oferecer, realmente precisamos disso?"

Substituindo dinheiro por criptomoedas

Dudley não se concentrou apenas no potencial relacionamento do Fed com as criptomoedas durante seus compromissos de fala – ele também deu aos participantes uma palavra de advertência sobre o investimento no mercado. "Eu seria bastante cauteloso [sobre o bitcoin]. Não é uma loja estável de valor, e não tem as características que você gostaria de ter em uma moeda".

Nem todos compartilham esta opinião, no entanto. O cofundador da Apple, Steve Wozniak, disse à CNBC recentemente que acredita que o bitcoin é um padrão de valor melhor do que o ouro ou o dólar americano. Goldman Sachs, JPMorgan Chase e outras instituições financeiras importantes também estão considerando formas de se envolver nas moedas digitais.

Leia também: Inteligência Artificial: ex-presidente do Google na China dá alerta

Qualquer que seja o futuro das criptomoedas , o fato de que Dudley estava falando sobre Bitcoin e outras moedas alternativas de tal forma é bastante revelador, pois indica que o mercado de moeda digital tem um potencial dominante. Se as criptomoedas continuarem se valorizando, elas podem se tornar um acessório permanente no mundo das finanças.

* Com tradução de futurism.com

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.