Tamanho do texto

Pela primeira vez o articulador do governo, o Ministro Luiz Eduardo Ramos, participa de reunião para tratar da mudança nas regras de aposentadoria

Com a presença do novo articulador político do governo, o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) reuniu líderes partidários, neste sábado (06), para discutir a votação da reforma da Previdência. Maia quer iniciar a análise da proposta em plenário na próxima terça-feira (09). 

Leia também: Manifestantes levam boneco de Maia de 3,5 metros e R$ 3 mil a ato pró-Bolsonaro

Rodrigo Maia (DEM)
Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Rodrigo Maia (DEM)

O secretário de Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho; o líder do PP, Arthur Lira (PB); e o líder do DEM, Elmar Nascimento (BA), marcaram presença no encontro com Rodrigo Maia . Esta é a primeira vez que Luiz Eduardo Ramos participa de reunião com deputados para tratar do assunto.

Leia também: Maia defende publicação de mensagens atribuídas a Moro e procuradores

Para ser aprovada no plenário da Câmara, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) precisa obter, no mínimo, 308 votos, em dois turnos de votação, número correspondente a 66% dos 513 parlamentares da Casa.

"Maia acredita que aprova nesta semana", disse o senador Omar Aziz (PSD-AM), que também participou do encontro. "No Senado, espero que a gente aprove em 45 dias", continuou.

O relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) foi aprovado pela comissão especial na última quinta (04), após acordo construído pelo centrão. Na penúltima semana antes do recesso parlamentar, que começa no dia 18, a Câmara terá sessões extraordinárias de votação no plenário entre segunda e quinta-feira.

Leia também: "Aqui você não manda", dispara Maia ao ser enquadrado pelo Major Vitor Hugo

As sessões marcadas para a tarde de segunda (08) e terça (09) servem para garantir o prazo de duas sessões, necessário para começar a analisar o parecer de Moreira. A proposta da reforma  da Previdência será o único item das pautas de votações de terça, quarta e quinta-feira.