Tamanho do texto

Presidente da Câmara tentava incluir estados e municípios na reforma, mas não teve sucesso; reunião era uma última tentativa de robustecer a PEC

Maia
Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Rodrigo Maia (DEM) tentou, mas não conseguiu chegar a um acordo com governadores sobre a reforma da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), não chegou a um acordo com governadores do Nordeste sobre a inclusão de estados e municípios na proposta de reforma da Previdência . Com dificuldades para votar o relatório em comissão especial ainda nesta semana, a reunião desta quarta-feira (26) era uma última investida de Maia para robustecer a reforma.

Leia também: CPI ouve Joaquim Levy sobre caixa-preta do BNDES nos governos do PT

"Os governadores colocaram aquilo que é relevante para eles. Coloquei aquilo que pode ser construído, mas volto a conversar com os líderes [dos partidos] e com os governadores para que a participação dos estados volte para a PEC, na comissão ou em plenário, para que a gente possa garantir uma votação forte da Previdência, somada à certeza de que atendemos à federação como um todo", disse  Maia .

O presidente da Câmara acrescentou que, caso os estados e municípios não sejam incluídos na proposta, o País terá problemas a curto prazo, com prejuízo à União, que teria que socorrer os entes da federação.

Enquanto Maia tenta o acordo, líderes do centrão pressionam para que o governo libere os R$ 10 milhões que prometeu a deputados antes da votação da reforma da Previdência . A promessa tinha sido feita pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, mas teria sido condicionada à votação do projeto em plenário, passo seguinte ao da comissão especial, onde a proposta está no momento.

Após a reunião com governadores, Maia disse que todo mundo precisa "ceder um pouco". Ele se disse confiante e otimista e fez a previsão de que a reforma será aprovada em plenário ainda neste semestre. Mas não garantiu a votação em comissão ainda nesta semana.

"Pode ser votado na quinta ou terça. Dois ou três dias para um bom acordo, vale muito mais o bom acordo para a gente transmitir à sociedade otimismo em relação às reformas", disse Maia.

Leia também: Maia tenta acordo para reincluir estados e municípios no parecer da reforma

Participaram do encontro com Maia os governadores Camilo Santana (CE), Rui Costa (BA), Renan Filho (AL), Paulo Câmara (PE), Wellington Dias (PI), Belivaldo Chagas (SE), João Azevêdo (PB) e Flávio Dino (MA).