Tamanho do texto

Desde que o incidente com o presidenciável foi noticiado, por volta das 16h10, o principal índice acionário brasileiro já subiu quase mil pontos

Desde que o ataque a Bolsonaro foi amplamente noticiado, por volta das 16h10, o Ibovespa já subiu quase mil pontos; às 17h, o índice ainda registrava alta de 1,76%, chegando a 76.416 pontos
Getty Images
Desde que o ataque a Bolsonaro foi amplamente noticiado, por volta das 16h10, o Ibovespa já subiu quase mil pontos; às 17h, o índice ainda registrava alta de 1,76%, chegando a 76.416 pontos

Na tarde desta quinta-feira (6), o Ibovespa disparou após a notícia de que o presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL (Partido Social Liberal), levou uma facada durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG). O principal índice acionário brasileiro chegou aos 76.325 pontos, uma alta de 1,94%.

Leia também: Presidenciáveis comentam ataque a faca contra Bolsonaro e pedem punição a responsável

Desde que o ataque a Bolsonaro foi amplamente noticiado, por volta das 16h10, o Ibovespa já subiu quase mil pontos. Às 17h, o índice ainda registrava alta de 1,76%, chegando a 76.416 pontos.

Nesta disparada, se destacaram as ações das estatais brasileiras, especialmente os papéis da Eletrobras (ELET3, 5,22%; ELET6, 6,5%) e Petrobras (PETR3, 2,07%; PETR6, 2,68%).

Os motivos que justificam esse crescimento acentuado do Ibovespa não são consenso entre os analistas. Alguns acreditam que o eventual afastamento de Bolsonaro da campanha para sua recuperação poderia abrir espaço para a ascensão de Geraldo Alckmin (PSDB). Outros enxergam que o ataque aumenta o sentimento do polarização no país, o que pode beneficiar o presidenciável do PSL.

Leia também: Homem que esfaqueou Bolsonaro é defensor de teorias da conspiração

Estado de saúde de Bolsonaro

Agora, de acordo com informações da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG), Bolsonaro está sem sangramento ativo, estável e fora de risco agudo imediato
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Agora, de acordo com informações da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG), Bolsonaro está sem sangramento ativo, estável e fora de risco agudo imediato

Após o incidente, Bolsonaro foi levado por seguranças para a Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. Segundo a assessoria de imprensa do candidato, exames realizados no hospital constataram lesões na artéria mesentérica e nos intestinos delgado e grosso, e o ex-capitão do Exército foi submetido a uma operação.

Agora, de acordo com informações da Santa Casa, Bolsonaro está sem sangramento ativo, estável e fora de risco agudo imediato.

Em nota, a Polícia Federal (PF) afirmou que Bolsonaro contava com escolta de agentes da corporação e que o agressor foi preso em flagrante e conduzido para delegacia da PF da cidade. Ainda de acordo com a PF, já foi instaurado um inquérito policial "para apurar as circunstâncias do ato".

Leia também: Facada atingiu fígado e Bolsonaro é submetido a operação em MG, diz assessoria

O autor do ataque a Bolsonaro foi identificado como Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos de idade. Filiado ao PSOL de 2007 a 2014, de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Adelio sofreu agressões por parte de apoiadores do presidenciável do PSL antes de ser detido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.