Tamanho do texto

Veja métodos eficazes de incentivar – não só a você mesmo – mas também a seus funcionários, segundo um especialista

Brasil Econômico

É possível, sim, incentivar seus funcionários e criar a motivação necessária para bons resultados
iStock
É possível, sim, incentivar seus funcionários e criar a motivação necessária para bons resultados

De acordo com um estudo realizado em 2013 no mercado de trabalho dos Estados Unidos, 70% dos trabalhadores não se sentiam engajados em seus empregos. Com esta estatística em mente, muitos gerentes e donos de negócios começaram a se perguntar sobre as reais expectativas de seus funcionários e, portanto, buscam entender o que desencadeia a motivação deles.

A pergunta é bastante ampla, mas, segundo o professor especialista em economia comportamental e irracionalidade Dan Ariely, da Universidade Duke, a motivação dos profissionais pode ser trabalhada dentro das empresas para que resultados sejam alcanlçados conforme os objetivos. De acordo com o especialista,  algumas ações viáveis podem ajudar a mudar o ânimo de qualquer profissional desmotivado.

Veja 3 maneiras de sucesso para atingir esses objetivos, segundo a especialista ao site Entrepreneur.

1. Encoraje seus funcionários a encontrar seus pontos fortes

Além de se sentir seguro com suas funções e com a empresa, empregados desejam – e precisam – ser encorajados a descobrir e desenvolver habilidades. Assim, é seu papel incentivá-los a encontrar pontos fortes que os façam se destacar na empresa e no mercado de trabalho, de maneira geral.

E essa regra vale especialmente para aqueles profissionais da Geração Y: o perfil dessas pessoas, em todo o mundo, está muito relacionado à mudança constante de um emprego para outro, já que sentem a necessidade de serem desafiados e de trabalharem em ambientes inspiradores. Tais empregados gostam de perceber que estão crescendo e aprendendo dentro de uma companhia, como também desejam encontrar um sentido, um propósito e um objetivo para continuarem motivados.

Uma pesquisa conduzida pela empresa The Marcus Buckingham Company concorda com essa dica de Dan Airely: segundo seu levantamento, “a maior e mais poderosa necessidade humana no trabalho é ser ajudado a descobrir suas habilidades e usá-las frequentemente”.


2. Dê valor à criatividade no local de trabalho

Ainda de acordo com a especialista comportamental, é essencial que empregadores entendam a necessidade de enfatizar o poder da criatividade como um gatilho para motivar seus funcionários a atingir maiores níveis de desempenho. Para tanto, o local de trabalho também deve oferecer ferramentas para que o processo de criação e desenvolvimento de projetos flua melhor.

É por isso que muitas empresas desenvolvem ambientes diferenciados, com regras flexíveis, por exemplo. “O processo de utilização de jogos de pensamento e jogos mecânicos a fim de resolver problemas e envolver pode ser impactante para o engajamento”, afirma. Essas soluções também funcionam para trazer o sentimento de emoção para o local de trabalho.

LEIA MAIS: Chefe mão de ferro ou líder moderno: qual perfil é mais bem visto e mais comum?

Isso porque, segundo Ariely, a criatividade ajuda-nos a pensar melhor e também faz com que nós acreditemos que o que estamos fazendo é “okay”. Além disso, o processo criativo nos faz parecer mais confiáveis para outras pessoas. Então, com esse incentivo, estaremos nos tornando mais convincentes, já que realmente estamos acreditando em nossa carreira e de que estamos subindo degraus.


3.  Trabalhar em equipe é um grande segredo

O especialista também discorre sobre a importância de fazer com que os funcionários se sintam parte de um grande grupo, de que eles acreditem que são realmente importantes para a equipe e para a empresa para a qual trabalha. Para ilustrar o quanto trabalhar em equipe é pode gerar motivação, Ariely cita pesquisas, realizadas nos Estados Unidos, que revelam que empregados preferem ter cortes de benefícios ou salariais a todos da equipe do que haver a demissão de um indivíduo específico. Alteridade, né?

O interessante é que esse conselho contraria o que muitos gerentes frequentemente ouvem sobre incentivar a competitividade no local de trabalho, onde bônus individuais são oferecidos. Ao que tudo indica, não é exatamente dessa forma que seus funcionários se sentirão mais engajados.

Por fim, de maneira resumida, as dicas vêm enfatizar a necessidade de que os chefes conheçam seus funcionários e entendam o que realmente pode gerar motivação em sua equipe. Pode ser ao tentar oferecer flexibilidade, pode ser incentivando a criatividade e, também, gerando um sentimento de “propósito” na equipe. Dar a eles o que desejam encontrar é uma boa maneira de também conseguir realizar o que você quer: o sucesso do seu negócio.