undefined
Divulgação/ABF
Filipe Sisson recebeu o prêmio de Franqueador do Ano pela iGUi Piscinas

O momento é favorável para o franqueador brasileiro. No primeiro trimestre de 2016, em comparação ao mesmo período no ano passado, a receita do setor de franquias registrou um crescimento de 7,6% . O faturamento, de acordo com a ABF (Associação Brasileira de Franchising) passou de R$ 31,331 bilhões para R$ 33,709 bilhões.

LEIA TAMBÉM:  Conheça 13 novidades com investimento inicial de até R$ 80 mil

O bom momento do setor pode ser comprovado pelo sucesso da 25ª edição da ABF Franchising Expo, realizada em São Paulo na última semana. Considerada a maior feira de franquias do mundo, o evento contou com mais de 400 marcas expositoras, sendo 50 delas estreantes.

Há anos no franchising, Fillipe Sisson, fundador da iGUi Piscinas, foi eleito o  franqueador do ano em premiação da ABF e pode ser considerado exemplo de expansão no setor. O empresário conversou com a reportagem do Brasil Econômico  e deu quatro dicas para quem já possui uma rede de franquia, mas não sabe o que fazer para crescer: 

1) Conhecer bem o seu negócio

Sisson diz que é importante ter um ótimo "know-how", ou seja, o conjunto de conhecimentos práticos necessários para a execução do trabalho da empresa. "Não é só montar um negocinho que deu sucesso na esquina e achar que aquilo vai se multiplicar. Existe concorrência na rua, existem diferenças geográficas. A distância muda, a logística muda, então você realmente tem que conhecer profundamente o seu negócio", afirma o empresário. 

2) Acompanhar as necessidades do franqueado

O empresário acredita que a franqueadora precisa ser bem estruturada para que seja capaz de "acompanhar as necessidades do franqueado". "Para atender 10 franquias, com um secretário você consegue atender. Agora, com 1000 lojas você precisa ter um staff", diz.

Sisson afirma que a iGUi conta com 250 pessoas dedicadas ao atendimento ao franqueado, tanto em relação ao marketing quanto à parte jurídica, por exemplo. " A gente tem assessoria em todas as áreas. A produção publicitária, o desenvolvimento de produtos, é tudo feito dentro da companhia. Conforme o número, você vai ter que adequar sua estrutura para ter um atendimento bom", finaliza. 

3) Comunicação com os colaboradores

Considerada pelo empresário a tarefa com maior dificuldade de execução após um determinado número de franqueados, a comunicação com os colaboradores é vista como primordial para o crescimento da rede: "(É importante) manter uma relação e saber das necessidades de cada ponto, do consumidor que está trabalhando, a cultura local, o fabricante, se os seus fornecedores homologados estão respeitando a qualidade pré-determinada".

De acordo com Sisson, é preciso que essa comunicação tenha fluidez de todas as maneiras possíveis. "Nós temos nossa revista eletrônica, revista impressa, telefone, WhatsApp. Essas 200 pessoas tem que se desdobrar em 2500 para essa comunicação fluir e você não se esquecer de ninguém. Sempre que você abandona determinada área, mesmo que ela esteja bem em determinado momento, daqui a pouco ela começa a falhar e vai trazendo problemas", completa. 

LEIA MAIS:  Os cinco conflitos mais comuns entre franqueados e franqueadoras

4) Internacionalização da marca

Trabalhar mecanismos de internacionalização da marca pode garantir bons resultados para o franqueador. Segundo Sisson, a iGUi se interessou por este trabalho desde o princípio. O empresário diz que, logo no início da atuação, foi firmada uma parceria com uma empresa da Argentina. "A receita principal da internacionalização é justamente essa. Encontrar um parceiro local que você realmente possa confiar, uma pessoa de confiança que acredite no seu sistema e que divida o desenvolvimento do trabalho (...) Sem o parceiro local fica muito difícil conseguir. A gente entendeu isso, respeitamos muito os parceiros e hoje já estamos em 39 países", conta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários