Tamanho do texto

Você sabe quais são as principais dificuldades financeiras dos brasileiros? Confira a lista e veja o que fazer para se livrar de cada um desses problemas

Consumo excessivo está entre as principais dificuldades para o controle financeiro dos brasileiros
shutterstock
Consumo excessivo está entre as principais dificuldades para o controle financeiro dos brasileiros

No Brasil, os problemas com gastos ainda atingem grande parte da população. Prova disso é que 60,4 milhões de brasileiros terminaram último ano endividados. Este número representa um aumento de 1,34% entre as pessoas que perderam o controle financeiro, na comparação com o mesmo mês de 2016.

Leia também: Cinco homens têm patrimônio idêntico à metade mais pobre do Brasil

Apesar disso, existem formas simples e práticas de reduzir ou até mesmo suprimir a maior parte destas dificuldades financeiras. Muitas pessoas sabem disso, mas nem todas colocam hábitos necessários em prático. Pensando nisso, o Educador Financeiro do Blog de Valor, André Bona lista os cinco maiores problemas para o controle financeiro e mostra quais são as formas mais descomplicadas de combatê-los:

1) Consumo excessivo 

Uma das principais dificuldades para o controle financeiro do brasileiro é o consumo excessivo. Este consumismo faz com que as pessoas comprem cada vez mais e, consequentemente, se afundem em dívidas que se tornam cada dia maiores.

Neste caso, a questão não está atrelada a problemas psicológicos que necessitam de tratamento especializado, mas, sim, ao  consumismo despertado por meio dos apelos de marketing atuais que suscitam um desejo incontrolado de gratificação instantânea e de prazer imediato. Esse péssimo hábito de consumo, em um período curto, é capaz de arruinar as finanças por muitos meses, ou até mesmo por anos, dependendo do caso.

Para evitar situações do tipo, é importante responder a algumas perguntas simples antes de fazer alguma compra de maior valor. Primeiro, questione se o item a ser comprado é essencial para manter sua saúde, lazer e qualidade de vida. Passado o primeiro filtro, pergunte a si mesmo se você possui os recursos necessários para comprar o item e continuar com, ao menos, 70% dos seus ganhos mensais. Caso a resposta seja positiva, passe para a última pergunta. Questione se é possível adiar a compra desse item. 

Ao responder todas essas perguntas, o consumidor passa a ter mais clareza sobre a dívida ou gasto que pretende assumir e poderá decidir, de maneira racional e analítica, se vale a pena o compromisso com aquele gasto ou não. Além disso, também é importante criar o hábito de registrar todo e qualquer tipo de gasto que fizer, independentemente do valor. Essa prática também auxilia no combate ao consumismo exagerado e desmedido, uma vez que você terá em mãos uma espécie de mapa financeiro que vai nortear as suas próximas despesas .

2) Cartão de crédito

O segundo item da lista trata do campeão das dificuldades para os problemas financdos brasileiros: o cartão de crédito. Este é um meio de pagamento que proporciona um falso poder de compra a quem é descontrolado e tem alto risco de ser consumista. Existem consumidores que não conseguem ter um pensamento consciente, racional e analítico diante de alguma situação que se pareça com uma oportunidade ou emergência, cuja consequência é a utilização do cartão de crédito sem planejamento e controle.

Há duas dicas que podem ajudar a solucionar este tipo de problema para o controle financeiro. A primeira é muito simples de ser aplicada: cancele todos os seus cartões . Já a segunda exige certo grau de racionalidade e controle interno, pois trata-se de utilizar a ferramenta de forma consciente. Neste caso, você precisará criar regras de uso e segui-las como se fossem determinações legais. Nada poderá ser maior que elas e, quando for necessário utilizar o cartão de crédito, responda às mesmas perguntas propostas no item anterior.

Leia também: Projeção para inflação permanece em 3,95% pela segunda semana diz, aponta BC

3) Parcelamento de dívidas

Pagar dívidas de maneira parcelada é algo muito comum entre os brasileiros, mas que não é recomendado caso você se preocupe em não jogar dinheiro fora. Em geral, a necessidade de parcelamento é causada pelos itens anteriores, ou seja, o consumismo exacerbado e o uso abusivo do cartão de crédito. 

Ao parcelar dívidas, o consumidor perde poder de compra e se atrapalha na organização das finanças. Apesar disso, é possível reduzir os impactos causados por essa dificuldade para o controle financeiro. Uma das medidas a serem tomadas, por exemplo, seria concentrar todas as suas dívidas em um único credor, que pode ser um banco ou instituição financeira que realiza a compra de contratos de débito.

Escolhendo pagar suas dívidas dessa forma, você terá dois benefícios: é possível conseguir redução nos juros pagos e, ao fazer todo o pagamento mensal por meio de um único documento de arrecadação, o consumidor evitando esquecimentos, perda de carnês e boletos ou atraso no envio desses papéis por parte dos Correios. Ou seja, suas dívidas mensais ficarão mais organizadas. Você poderá então traçar metas para conseguir quitá-las o mais breve possível e evitar contrair outras.

4) Contar apenas com o INSS para a aposentadoria

Esse tipo de problema pode não causar prejuízos financeiros imediatos, mas depender somente da Previdência Social para se aposentar pode levar a dificuldades futuras, no momento em que o contribuinte passa a receber o benefício. 

É importante levar em conta, que o INSS é um fundo mantido pelo Governo Federal e, como tal, é repleto de momentos de instabilidades e incertezas, como vem sendo observado nos últimos anos. Portanto, confiar nele sua segurança e tranquilidade financeira é um risco.

Fora isso, também vale ressaltar que a correção da sua aposentadoria pode fazer com que ela seja inferior aos seus rendimentos mensais atuais. Portanto, é muito possível que sua renda e padrão de vida caiam consideravelmente quando você começar a receber o benefício. Assim, para suprir essa necessidade, ou simplesmente complementar a renda do INSS, você pode optar por um plano de previdência privada. 

Existem também opções de investimentos de longo prazo mais seguros, como, por exemplo, o Tesouro Direto, o Certificado de Depósito Bancário (CDB) ou a Letra de Crédito Imobiliário (LCI), entre outros.

5) Não ganhar o quanto deseja

É claro que os baixos salários estão entre as principais dificuldades para o controle financeiro dos brasileiros – sendo esse o mais difícil de contornar, pois não depende apenas do trabalhador. Em grande parte dos casos, inclusive, mudar de emprego não resolve o problema.

Dessa forma, o que o consumidor pode fazer é encontrar fontes de renda alternativas à principal. Existe a possibilidade de buscar trabalhos alternativos que podem estar relacionados aos seus hobbies ou a alguma outra habilidade especial que você possua e que seja possível de transformá-la em receita.

Leia também: Nova etapa do Fundo PIS/Pasep começa nesta segunda; veja como sacar benefício

Por mais que alguns problemas para encontrar o controle financeiro pareçam impossíveis de serem solucionados, sempre haverá uma forma de superar as dificuldades. Mais importante, no entanto, é ter a consciência de que é possível evitar ficar no vermelho com importantes mudanças de hábitos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.