Tamanho do texto

Porcentual de famílias que relataram ter dívidas alcançou 58% em agosto, o que representa um aumento de 0,3 ponto porcentual em relação a julho

Fatia de famílias com dívidas ou contas em atraso também aumentou na passagem de julho para agosto
iStock
Fatia de famílias com dívidas ou contas em atraso também aumentou na passagem de julho para agosto

Após seis meses consecutivos de queda, o País voltou a registrar aumento no total de famílias endividadas em agosto. A inadimplência também se agravou no mês, segundo os dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

LEIA MAIS:  Começa nesta quinta a convocação por carta de beneficiários do INSS para perícia

O porcentual de famílias que relataram ter dívidas alcançou 58% em agosto, o que representa um aumento de 0,3 ponto porcentual em relação aos 57,7% observados em julho, interrompendo uma sequência de seis meses de redução. No entanto o total de endividados ainda é 4,7 pontos porcentuais menor do que o observado em agosto de 2015, quando esse montante estava em 62,7%.

LEIA MAIS:  Preocupado com reforma, contribuinte corre ao INSS para calcular aposentadoria

A fatia de famílias com dívidas ou contas em atraso também aumentou na passagem de julho para agosto, de 22,9% para 24,4%. O total de famílias inadimplentes no último mês superou ainda o patamar de agosto de 2015, quando esse indicador alcançou 22,4%.

Houve piora também no porcentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes: passou de 8,7% em julho para 9,4% em agosto. Em agosto do ano passado, esse montante alcançava 8,4%.

A pesquisa considera como dívidas as parcelas a pagar em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro ou seguro.