.
Divulgação
O valor, ao fim do processo, deverá ser destinado a fundos de combate a discriminação, defesa do consumidor, etc


Uma ação coletiva, contra a rede Carrefour e Grupo Vector Segurança Patrimonial pela morte de João Alberto Silveira Freitas , foi aberta pela Defensoria Pública do Rio Grande do Sul (DPE/RS). O assassinato ocorreu nas dependências de supermercado do grupo em Porto Alegre, no último dia 19.


Entre as principais reinvidicações, a Defensoria exige indenização de R$ 200 milhões de reais por danos morais coletivos e sociais. O valor, ao fim do processo, deverá ser destinado a fundos de combate a discriminação, defesa do consumidor, entre outros.

A DDPE/RS ainda pede a interdição da unidade onde ocorreu o episódio por cinco dias, com o objetivo de diminuir o risco de possíveis atos hostis em decorrência de manifestações.

É pedido também que a rede Carrefour crie em Porto Alegre, dentro de 10 dias, um plano de combate ao racismo e tratamento discriminatório voltado para funcionários.

A ação se estende também aos três funcionários envolvidos no crime. Em caso de descumprimento, pode haver  multa de R$ 100 mil reais por dia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários