Tamanho do texto

A partir de agora, após decisão da Diretoria Executiva da empresa, os preços dos combustíveis poderão ser reajustados sem uma periodicidade definida

Combustível
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Antes da mudança, Petrobras só podia modificar o preço dos combustíveis em um período não inferior a 15 dias

A Petrobras informou que sua Diretoria Executiva aprovou a revisão na periodicidade de reajustes nos preços do diesel e gasolina comercializados em suas refinarias. A partir de agora, os reajustes de preços de diesel e gasolina serão realizados sem periodicidade definida. Até então, o diesel só era rejustado a um período não inferior a 15 dias. Já o preço da gasolina poderia sofrer mudanças em até 15 dias.

Leia também: Preço da gasolina nas refinarias cai pela segunda vez no mês, informa Petrobras

Segundo informe da Petrobras , a partir desta quarta-feira (12) os combustíveis serão reajustados de acordo com as "condições de mercado e da análise do ambiente externo, possibilitando a companhia competir de maneira mais eficiente e flexível". 

"A aplicação imediata desta revisão permitirá à Petrobras, no momento, reduzir os preços do diesel acompanhando as variações dos preços internacionais observadas nos últimos dias", informou a estatal em nota.

Apesar da mudança do calendário, a Petrobras disse que ficam mantidos os princípios que balizam a prática de preços competitivos, como preço de paridade internacional (PPI), margens para remuneração dos riscos inerentes à operação, nível de participação no mercado e mecanismos de proteção via derivativos.

O último reajuste do diesel ocorreu no dia 01 de junho, quando a Petrobras reduziu o preço médio em 6%, para R$ 2,1664. Já a gasolina teve queda de 3% no último dia 11, quando valor médio ficou em R$ 1,7595.

Segundo uma fonte, o objetivo da mudança é facilitar a gestão da  empresa.

"A ideia é preservar a lucratividade da companhia e tentar não criar volatilidade aos clientes com base na pariidade internacional. O certo é fazer na hora que precisar, aumentando ou reduzindo os preços", disse essa fonte.

Leia também: Cade aprova venda de oito refinarias pela Petrobras