Tamanho do texto

Região está em conflito e é contestada pelo governo ucraniano e russo; marca pediu desculpas ao governo da Ucrânia

A Coca-Cola cometeu uma gafe em um anúncio produzido para a Rússia e causou uma crise com o governo ucraniano. A empresa publicou uma imagem de Natal do território russo com a Crimeia - área anexada de maneira unilateral pelos russos e não reconhecida pela comunidade internacional.

O mapa, divulgado nas redes sociais da Coca-Cola na Rússia, mostra a região da Crimeia (canto inferior esquerdo) como parte do país
Reprodução
O mapa, divulgado nas redes sociais da Coca-Cola na Rússia, mostra a região da Crimeia (canto inferior esquerdo) como parte do país

A reação dos deputados ucranianos foi imediata. "Os cidadãos responderão à Coca-Cola boicotando seus produtos", disse o parlamentar Mustafa Nayyem à agência de notícias "Interfax". Por causa da repercussão negativa, a marca fez um pedido oficial de desculpas ao governo da Ucrânia e corrigiu o mapa.

Em entrevista ao jornal "Ukrayinska Pravda", o escritório da Coca-Cola em Kiev afirmou que a publicação foi um "mal-entendido" e que a companhia "não apoia nenhum movimento político ou partido".

"O nosso objetivo é produzir bebidas de qualidade e sempre trabalhamos para a paz e respeitamos os direitos internacionais", disseram os representantes da empresa. Segundo eles, uma agência terceirizada era a responsável pela criação da arte e o trabalho nas redes sociais.

Além disso, o diretor Clyde Tuggle escreveu uma carta ao embaixador ucraniano nos Estados Unidos explicando que foi a agência que "fez a arte", mas que a Coca-Cola "iria assumir a responsabilidade".

Esse problema ocorreu semanas após uma outra imagem ter sido "remendada" nas redes sociais da marca. Um mapa russo havia sido publicado sem a Crimeia - o que seria compreensível - mas também sem a região de Kaliningrado (que é um território separado da Rússia, mas que faz parte do governo do país) e sem as ilhas Curilas. Em um comunicado, a empresa assumiu o erro e pediu "desculpas pelo episódio".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.