Tamanho do texto

Rede pioneira na venda de grãos torrados e glaceados foi trazida para o País após Adriana Auriemo obter licença para utilizar marca com exclusividade

Brasil Econômico

Diretora da Nutty Bavarian, Adriana Auriemo procurou engenheiro da Nasa antes de trazer marca para o Brasil
Divulgação
Diretora da Nutty Bavarian, Adriana Auriemo procurou engenheiro da Nasa antes de trazer marca para o Brasil

O que um americano apaixonado por grãos, um engenheiro da NASA – agência espacial americana – e uma brasileira com olhar empreendedor têm em comum? Aparentemente nada, mas quando se fala na história pioneira da rede especializada em grãos torrados e glaceados, a Nutty Bavarian, faz todo sentido.

LEIA MAIS: Multimídia, Edu Guedes alcançou o sucesso fazendo o que gosta

A empresa foi criada pelo americano John Mauter que teve a ideia do negócio quando visitou o sul da Alemanha e se encantou com as chamadas nuts (amêndoas, nozes, pecan, amendoim, pistache, avelã e castanha de caju) torradas e glaceadas com xarope de canela, muito populares na região da Bavária.

Quando voltou aos Estados Unidos, decidiu investir no ramo ao estilo alemão. Seus amigos e familiares acharam aquilo uma loucura e o apelidaram de "Nutty Bavarian" ou, em português, "Bavariano Louco", surgia assim o nome do negócio.

A empresa pouco tempo depois foi comprada pelo engenheiro da NASA, David Brent, que desenvolveria uma panela elétrica para torrar e glacear os grãos possibilitando assim a venda em quiosques de grande circulação de pessoas, como shopping centers, aeroportos, parques temáticos, estádios e arenas.

LEIA MAIS: Startup brasileira fatura R$ 1,4 milhão com Bitcoins

Adriana Auriemo durante o programa
Divulgação
Adriana Auriemo durante o programa "Pra Frente Sempre", com Marcos Scaldelai

Essa iniciativa do engenheiro permitiu a recém-formada em administração, Adriana Auriemo, sentir o cheiro adocicado do produto quando assistia a um jogo de basquete. A empreendera resolveu procurar Brent e conseguiu a licença para trabalhar a Nutty Bavarian com exclusividade na América do Sul.

"Compramos a exclusividade do produto, a formula e o direito do uso da marca. Quando trouxemos para o Brasil, colocamos as castanhas brasileiras, desenvolvemos as embalagens, um modelo de servir, logotipo, tudo pensado para o mercado nacional. Hoje temos uma linha de 12 produtos, a maior parte deles torrados na hora. Fazemos também com os grãos, panetones e sorvetes", explicou, em entrevista ao programa Pra Frente, a hoje diretora da Nutty Bavarian, Adriana Auriemo.

LEIA MAIS: Empreendedora de primeira viagem, Mari Belém fala de sucesso com blog para mães

Atualmente, a rede conta com cerca de 129 quiosques, presente em shoppings, aeroportos, terminais rodoviários. "Temos outros canais de venda também como cinema, toda a rede Cinemark tem nossos produtos, estamos no food service, eventos; fazemos brindes corporativos e para festas", conclui.

* Rafael Henrique, especial para o Brasil Econômico.

    Leia tudo sobre: Empreendedorismo