Tamanho do texto

O Bitcoin valorizou mais de 20% em uma semana e o mercado de criptomoedas fechou o primeiro trimestre de 2019 positivo

No início do mês, o Bitcoin, criptomoeda mais conhecida do mundo, valorizou 21,4%. A disparada após um grande período de “inverno” alavancou também o preço das altcoins, moedas alternativas ao Bitcoin , que alcançaram ganho de até 181%. Aumentaram também as buscas na internet pelo termo “bitcoin” e a quantidade de pessoas que demonstram interesse em saber como investir em criptomoedas.

Reprodução Google Trends
O Google Trends mostra um grande aumento das buscas pelo termo “bitcoin” nas últimas semanas


A boa notícia para os investidores que passaram a ter interesse em saber como investir em criptomoedas é que outras moedas virtuais valorizaram mais do que o Bitcoin no acumulado de 2019. Na plataforma da XDEX, exchange investida pela XP Controle Participações, enquanto a famosa moeda criptografada alcançou ganho de 40%, a Litecoin (LTC) valorizou 181%, seguida da Bitcoin Cash (BCH) com 96% e da Dash (DASH) com 69%.

Os números mostram que existem outras opções ao Bitcoin no mercado. Todas elas possuem uma característica em comum, que torna o investimento acessível: podem ser compradas em frações, já que são divisíveis até a 8ª casa decimal, ou seja, com apenas R$ 0,01 é possível comprar uma fração de Bitcoin ou de outra criptomoeda. Por isso é preciso conhecer o ativo e analisar a variação dele para identificar qual vale mais a pena.

Como investir em criptomoedas?

Entender o funcionamento do mercado de criptomoedas e sua alta volatilidade é muito importante. Os picos de valorização das moedas virtuais podem ser grandes, mas há também muita desvalorização – e isso pode acontecer no período de apenas um dia. Por esse motivo, especialistas aconselham a não investir mais do que se está disposto a perder.

Mas a volatilidade não deve ser motivo para não investir nesse mercado. Enquanto os bancos são burocráticos e cobram altas taxas, tratar com exchanges é fácil e barato. Nesse caso, o ponto chave é optar por uma exchange confiável e com uma boa proposta. A  XDEX é investida pela renomada XP Controle Participações e pela General Atlantic (gestora americana que investe em empresas de capital privado), e possui as menores taxas do mercado brasileiro para negociar criptomoedas - para a negociação do Bitcoin a taxa é zero.

A decisão pela criptomoeda

A imagem mostra três tipos de criptomoedas
shutterstock
Para começar a investir em criptomoedas é preciso conhecer as principais


Com a exchange escolhida, é hora de decidir em qual criptomoeda investir. Para isso, é preciso definir o perfil do investidor, analisar o valor de mercado das moedas virtuais e o histórico de valorização delas, para só então optar pela mais compatível. Os relatórios e as análises semanais que ficam disponíveis para os assinantes da XDEX podem ajudar na análise e decisão de investimento. 

·         Bitcoin (BTC): foi a primeira criptomoeda criada, é também a mais conhecida e a que apresenta maior valor de compra. Ficou famosa pelos grandes picos de valorização.  No acumulado de 2019, até a segunda semana de abril, valorizou 40%.

·         Ethereum (ETH): no valor de compra fica apenas atrás do Bitcoin e do Bitcoin Cash. O ETH funciona dentro da plataforma de blockchain Ethereum que permite a programação de contratos inteligentes, podendo criar todas as funcionalidades existentes de forma descentralizada, o que, provavelmente, irá alavancar seu preço cada vez mais no futuro. A moeda teve valorização de 24% no acumulado de 2019. 

·         Ripple (XRP): É um sistema de pagamento distribuído que permite transferências de maneira segura e instantânea, independentemente de seu tamanho. O ativo ganhou grande destaque no mercado por anunciar parcerias com grandes bancos internacionais. No acumulado de 2019, até a segunda semana de abril, não teve valorização.

·         Bitcoin Chash (BCH): surgiu para substituir o Bitcoin, oferecendo transações mais rápidas. Como não houve um consenso sobre a substituição, o BCH passou a ser considerada uma nova criptomoeda. Atualmente, seu valor de compra é o segundo mais caro do mercado. Valorizou 96% no acumulado de 2019.  

·         Litecoin (LTC): possui transferência rápida e é bem negociada no mercado. Assim como o Bitcoin, moeda com a qual é tecnicamente parecida, a LTC sofre com altas e baixas. Valorizou 181% no acumulado de 2019.

·         Dash (DASH): resultado de uma bifurcação do software do Bitcoin, possui transações muito rápidas, quase que instantâneas, onde o usuário pode escolher se a mesma será de forma anônima ou não. A valorização no acumulado de 2019 foi de 69%.

·         Zcash (ZEC): surgiu para garantir a privacidade e o anonimato que as outras criptomoedas não podiam garantir e por isso ficou conhecida rapidamente. No acumulado de 2019, valorizou 28%.       

*Os valores de variação ocorreram dentro da plataforma da XDEX e são referentes até o dia 9 de abril deste ano. 

Este é um bom momento para investir em criptomoedas?

O cenário atual é marcado pela instabilidade da bolsa de valores, incertezas da aprovação da reforma da previdência e polêmicas relacionadas ao governo. Isso favorece o mercado de criptomoedas que, diferente de outros investimentos, tem sua variação de preços pouco correlacionada com esses ativos.

Além disso, especialistas têm se manifestado positivamente sobre o futuro das moedas criptografadas. Ryan Selkis, co-fundador da Messari, afirmou que nos próximos 20 anos os millennials irão aplicar 300 bilhões de dólares no mercado de criptomoedas e o preço do bitcoin subirá para 50 mil dólares.

Está interessado no criptomercado e deseja acompanhá-lo de perto para ter certeza de como investir em criptomoedas ? Busque por relatórios semanais, análises do nível de fragilidade de cada moeda criptografada e entenda a projeção delas. Alguns  cursos disponíveis na internet podem ajudar nesse entendimento.