Tamanho do texto

Já que as empresas brasileiras investem cada vez menos na capacitação de seus colaboradores, nada melhor do que ter iniciativa própria num mercado de trabalho cada vez mais disputado

Por Fredy Figner - Coach e especialista em treinamentos

Na coluna de estreia de Sua Carreira no Divã quero convidá-lo (a) a uma reflexão sobre sua qualificação profissional e até sobre suas ambições profissionais. Primeiro quero propor que você se atente aos dados a seguir:  

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Treinamento (ABT) 2017/2018 mostra que os empresários brasileiros não investem no desenvolvimento, no treinamento de suas equipes. Um investimento desses – jamais considerar gasto, é um erro estratégico grosseiro – visa a melhora de performance dos líderes e equipes de uma empresa.

Pois bem: o estudo da ABT, realizado com 738 empresas, mostra que elas investem cerca de R$ 788 por funcionário ao ano. E, mesmo com o crescimento de 21% em relação ao ano anterior, trata-se de um valor ainda muito aquém do investimento das empresas norte-americanas, que investem mais de US$ 1,2 mil por colaborador, o que convertido em reais revela a impressionante média de R$ 4,6 mil.

Diante desse quadro você, que está colocado profissionalmente ou disputa uma vaga no mercado de trabalho, tem uma deixa perfeita para fazer um movimento que denominamos Do Your Self ou Faça Você Mesmo .

Que movimento é este? O de não deixar a água parada. Assim, se você tiver alguma formação – qualquer que seja – e estiver parado, é hora de olhar para a carreira que escolheu e refletir. E fazer (agir).

Por exemplo: você sabe quanto o mercado está pagando para um profissional da sua área na sua cidade, estado? E em outras regiões do País? Num cenário onde a terceirização de serviços contempla inclusive as atividades fim das empresas, ter conhecimento desses itens pode ajudar você a precificar corretamente os seus serviços.

Outra reflexão importante: a minha carreira oferece espaço para eu me especializar, fazer um mestrado ou doutorado? Eu tenho espaço no meu orçamento para dar um upgrade na minha formação e conseguir, adiante, buscar um salário melhor no mercado?   

Dica primorosa

Você já pensou em outras alternativas para enriquecer seu currículo? Uma excelente alternativa, com muitas opções pagas e gratuitas no mercado, é a frequência em novos cursos ou palestras. Pense no olhar de quem você deseja impressionar. Se estamos quase ao final de 2018, por que no seu currículo deve constar cursos de curta duração ou palestras de 2015, por exemplo? Renove o seu hall de cursos e palestras. Se possível o quanto antes.

Novos conhecimentos dizem muito sobre sua competitividade e condição anímica para galgar mais espaço em sua carreira. Se você mostra no seu dia a dia de trabalho ou para o recrutador que ele tem diante de si um profissional proativo e dedicado suas chances de abrir espaço no mercado de trabalho ou de crescimento em sua empresa aumentam.

Além disso, agregar idiomas também pode ser um diferencial num mercado tão competitivo. Já domina o inglês? Você sabia da perspectiva de empresas chinesas migrarem para o Brasil a partir de 2019? Que tal agregar um mandarim ao seu currículo. Observe atentamente o noticiário sobre o mercado. Que ventos e marés o embalam? Construa suas pontes.

Faça você mesmo ou levanta-te e anda – numa citação bíblica – é um movimento necessário para quem busca oportunidades no mercado ou quer se destacar na empresa onde atua.

Pense nisso e seja as pedras mergulhando na água. E se tiver dúvida, #fredyexplica

*Fredy Figner é coach e consultor de treinamentos & Palestras Corporativas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.