Tamanho do texto

Entenda de quais investimentos fugir na hora de planejar sua aposentadoria!

Aposentadoria sempre será um tema que causa curiosidade (e até temor) no brasileiro. Afinal, quando o assunto é aposentadoria, tudo se torna mais delicado.

FGC: você sabe o que é o Fundo Garantidor de Crédito?

Aposentadoria
shutterstock
Aposentadoria

E não é por menos: para um povo que passa cerca de 70% do seu tempo em vida trabalhando para contribuir com o INSS para tentar garantir uma aposentadoria tranquila, qualquer mudança que possa colocar essa aposentadoria em jogo é um problema dos grandes.

E é justamente por conta dessa possibilidade de mudança que o brasileiro cada vez mais tem olhado para opções fora do INSS. Porém, em muitas dessas opções, há certas armadilhas que podem acabar com a aposentadoria do investidor.

No artigo de hoje, irei apontar 4 investimentos que são justamente isso: armadilhas que podem acabar com a sua aposentadoria. São elas:

1) Títulos de capitalização

Há muitas pessoas que acreditam ainda que título de capitalização é um bom negócio para guardar dinheiro para o futuro. A realidade, porém, é justamente o contrário.

Os títulos de capitalização dificilmente são um bom negócio para quem os utiliza. O rendimento dele é praticamente nulo e você não irá receber o total acumulado no momento do resgate. Ele só se torna interessante caso você adquira o prêmio em dinheiro que ele proporciona, mas, como sabemos, isso é algo difícil de se conseguir.

Em linhas gerais, a não ser que você seja fanático por apostar seu dinheiro e queira correr deixar a cargo da sorte a sua aposentadoria, os títulos de capitalização devem estar fora do seu radar. Simplesmente não vale a pena.

2) Poupança

A poupança também não é das melhores opções para quem quer garantir a sua aposentadoria.

Certo que, nos momentos atuais, ela finalmente está dando retornos acima da inflação - o que não tem feito com constância nos últimos anos. Mas, mesmo com esses retornos positivos, a poupança ainda tem 2 problemas:

  • Há opções que rendem mais para um prazo maior;
  • Estamos falando de um investimento de longo prazo, e historicamente a poupança é uma aplicação que deixou muito a desejar.

Sabendo que o Brasil é realmente um país que não tem muita estabilidade, a realidade da poupança pode mudar novamente nos próximos anos. Se isso acontece, a poupança já pode deixar de ser interessante e acabar perdendo, mais uma vez, para inflação.

3 investimentos para quem deseja investir no exterior

Com juros reais negativos, isso quer simplesmente dizer que o investimento não vale a pena. Afinal, do que adianta investir o seu dinheiro hoje se no futuro ele valerá menos?

É até por essa noção que muitas pessoas, ao invés de investirem na poupança, investem em aplicações que utilizam o IPCA como indicador em seu rendimento. Assim, não importa o que aconteça com a situação econômica do Brasil, o investimento ainda dará retornos acima da inflação, garantindo um aumento do poder de compra do seu dinheiro ao longo do tempo.

Ou seja: poupança está melhor do que estava antes, mas ainda assim não é uma opção interessante, ainda mais se tratando de aposentadoria.

3) Fundos de Investimento com altas taxas

Fundos de investimento sempre aparecem entre os problemas daqueles que desejam se aposentar. Isso porque, precisamente, eles são os vilões da previdência privada quando falamos de investimentos bancários.

Isso porque toda previdência privada tem um fundo onde o dinheiro depositado é aplicado. Muitos gerentes de bancos abordam o investidor e mostram os rendimentos desses fundos, que, à primeira vista, tem um rendimento excelente.

Acontece que os gerentes geralmente não te contam um detalhe: as taxas.

O rendimento que é mostrado na maioria das vezes ao cliente é o rendimento bruto, ou seja, o rendimento ainda não descontado das taxas. O rendimento líquido, por outro lado, é muito prejudicado pelas taxas do fundo, ficando muitas vezes de forma bem similar (ou até pior) que o rendimento da poupança. É praticamente uma facada.

Só que, como essas taxas não ficam evidentes em primeiro momento e o investidor não tem conhecimento suficiente para identificá-las, ele acaba investindo em peso nessas aplicações, cometendo um erro grave.

Por isso, é imprescindível que, se você deseja investir em um fundo de investimento ou em uma previdência privada, você deve ficar de olho nas taxas, e não somente no rendimento.

E se vale uma dica extra: procure por investimentos deste tipo em corretoras, e não em bancos. Dificilmente você vai encontrar bons investimentos em instituições bancárias, a não ser que você tenha um valor muito considerável em dinheiro.

4) CDBs com taxas altas

Este tipo de aplicação segue a mesma ideia que os fundos de renda fixa: não são opções ruins, mas são opções que se tornam péssimas nas mãos dos bancos.

Na realidade, pensando em aposentadoria, os CDBs são opções interessantíssimas.

Primeiro, eles contam com o FGC, Fundo Garantidor de Crédito. Ou seja, se você tem até R$250 mil em um CDB, a instituição pode falir que você ainda vai ter a garantia do seu dinheiro.

Segundo, nos CDBs você consegue encontrar opções que rendam mais que diversas aplicações. Não é incomum, por exemplo, encontrar CDBs que rendam entre 110% e 118% do CDI - uma taxa considerável.

Terceiro, os prazos de bons CDBs geralmente estão ali para 3 anos. Isso, porém, tem alguns prós e alguns contras.

O bom é que, como eu disse anteriormente, o Brasil não é um país estável. Considerando que os CDBs atrelados ao IPCA são melhores opções a longo prazo por garantirem um rendimento acima da inflação, períodos grandes podem fazer com que surjam opções melhores de CDB, com taxas maiores.

Nesse caso, manter um investimento por um prazo muito grande pode te gerar uma perda de oportunidade. E, como os CDBs geralmente não tem prazos grandes (variam entre 1 a 5 anos), eles podem ser considerados para a aposentadoria.

O problema, nesse caso, é a carência. Vários CDBs com boas taxas não têm liquidez, ou seja, você só resgata o dinheiro no vencimento da aplicação. Então, se você acabar precisando do dinheiro no meio do caminho, você não vai conseguir retirar.

Uma dica que eu dou, então, é que você procure fazer o chamado fundo de emergência antes. O fundo de emergência consiste em uma reserva de dinheiro que você deixa aplicada em um investimento que tenha liquidez alta, ou seja, que você consegue tirar rapidamente.

Assim, caso alguma coisa aconteça na sua vida, você não precisa  penalizar a sua vida ou outros investimentos seus, pois você já havia previsto o acontecimento e se preparado a ele.

Aposentadoria: 3 dicas para planejar uma aposentadoria inteligente

Se seguir estas dicas e fugir dos investimentos ruins para a sua aposentadoria , tenho certeza que o seu futuro será muito mais saudável, e sem complicações!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.