Tamanho do texto

Entenda como planejar sua aposentadoria da melhor forma possível!

O planejamento de uma aposentadoria é, ainda, um assunto repleto de dúvidas. E não por acaso, esse planejamento de aposentadoria ficou ainda mais cercado de dúvidas com as reformas que atingiram diversos aspectos do INSS.

Mas, mesmo que o INSS não pareça mais uma opção tão segura para o contribuinte, isso não quer dizer que não é possível também planejar uma boa aposentadoria.  Na realidade, o planejamento pode abordar outros pontos que vão além da previdência social, e isso é algo muito positivo.

Cada trabalhador deve levar em conta sua idade e tempo de contribuição para escolher o melhor tipo de aposentadoria
iStock
Cada trabalhador deve levar em conta sua idade e tempo de contribuição para escolher o melhor tipo de aposentadoria


Selic: 3 investimentos que melhoram com a queda da taxa de juros

Então, para te ajudar a começar um planejamento de uma aposentadoria da forma correta, neste artigo eu listo 3 dicas que, com certeza, irão te ajudar a garantir uma aposentadoria satisfatória. São elas:

1) Começar o quanto antes

Quando estamos em uma fase mais jovem da vida, é difícil pensarmos que o correto é que façamos investimentos durante 30, 40 anos para conseguir algo só em um futuro que está bem distante. Como esse tipo de investimento visa um retorno um prazo muito longo, algumas pessoas sempre acabam deixando esse tipo de investimento “para depois”. E isso está muito errado.

Quando começamos o planejamento da aposentadoria logo cedo, temos 2 benefícios: temos mais tempo para aumentar o recebimento mensal da aposentadoria, e, também, temos maior flexibilidade com os aportes mensais necessários.

Num exemplo simples: suponhamos que você tenha 20 anos e deseja investir R$ 200 por mês para começar a receber o seu benefício aos 65 anos. Nesse caso, investindo em uma aplicação com 100% do CDI (atualmente 7,39%) você receberia mensalmente R$ 1.461,36 assim que terminasse as contribuições, já contando a inflação.

Agora, caso você começasse com 30 anos, a situação já seria completamente diferente: você receberia R$448,55. Uma diferença gritante.

Por isso mesmo, a ideia é que quanto mais cedo você se planejar para aposentar, melhor você estará no futuro.

2) Ter um objetivo em mente

Pode parecer besteira, ou uma coisa muito óbvia, mas é extremamente importante que você defina um objetivo certo na cabeça ao investir o seu dinheiro.

E com objetivo eu não digo um objetivo do tipo: “ah, eu quero aposentar bem”. Não. Para fazer da forma correta, é extremamente necessário também que se pense no valor a ser recebido lá na frente.

Ações: como alugar ações pode melhorar meus rendimentos?

Isso porque, como vimos na simulação no item anterior, investir pouco te dá um resultado muito pequeno em retorno da aposentadoria. Se você deseja ter um salário de aposentadoria de R$2.000,00, seria necessário aportar mais do que R$200 por mês.

Por isso o grande aliado do investidor acaba sendo sempre o objetivo atrelado com os levantamentos. Se questione sobre o quanto você quer receber de aposentadoria e depois faça os cálculos necessários para saber o quanto você precisa investir por mês para chegar em tal resultado.

Isso te garantirá 2 grandes benefícios: clareza e previsão do resultado.

A clareza no sentido de que, com o objetivo claro, você consegue entender exatamente o que você quer e o que pode fazer para buscar isso.

E a previsão do resultado vem com os levantamentos. Se você quer alcançar uma renda mensal de R$5.000,00, mas nos seus cálculos você percebe que precisará aportar mais do que você pode disponibilizar todos os meses para investir, isso significa que algumas coisas precisam ser mudadas para você atingir o seu objetivo.

Em casos como esses, a renda extra é uma alternativa muito válida. Mas primeiro você precisa entender, obviamente, se essa renda extra é realmente necessária. E isso você só consegue quando tem um objetivo claro em mente.

3) Não depender do INSS

Querendo ou não, o INSS acaba sendo a forma mais simples e prática do cidadão comum começar o seu planejamento para a aposentadoria. Isso, claro, porque ela também é obrigatória na maioria dos casos.

Mas, apesar dela ser prática do jeito que ela é, é muito interessante com que você também faça investimentos por fora do INSS, a fim de pelo menos garantir uma parte (ou totalidade) da aposentadoria que você planeja ter.

Isso é bom porque te garante com que você possa ter uma renda extra no futuro, e também te dá segurança contra as alterações que podem acontecer devido às reformas feitas pelo governo, que, como já vimos, são possíveis de aparecer.

Então, pensar na possibilidade de investir também em uma previdência privada pode ser um diferencial bacana para ter a sua aposentadoria garantida, ou até rendendo mais do que o esperado.

Blockchain: Utilizando a tecnologia para proteger a sua casa!

Só alerto, porém, que a contribuição com o INSS se dá de forma obrigatória. Muitas pessoas, ao começarem os seus investimentos em previdência privada ou outros investimentos fora a previdência social, esquecem ou simplesmente param de contribuir com o INSS, o que eu não acredito que seja a melhor opção.

Em si, vale a pena investir tanto na previdência social quanto na previdência privada. Mas, devido às boas oportunidades nas corretoras e seguradoras em previdências privadas, é interessante fazer uma comparação das suas opções na hora de investir para a aposentadoria, justamente para entender se vale mais a pena investir um capital maior na previdência social ou na previdência privada.

Apesar de, na maioria das vezes, a maior vantagem ser com a previdência privada, isso não nos isenta de comparar. A comparação, principalmente quando falamos de previdência privada - que é um investimento mal oferecido pelos bancos -, é totalmente necessária ao investidor que pretende colocar sua aposentadoria em boas mãos.