Uma pesquisa com 44 mil executivos em mais de cem países mostrou que as salas de reunião são um dos pontos de maior fraqueza dos escritórios, mais especificamente no que diz respeito à higiene. E o Brasil aparece em terceiro lugar no ranking de insatisfação com a limpeza desses espaços, sendo motivo de reclamação de 45% dos executivos do País.

Para os executivos entrevistados no levantamento da Regus, empresa líder mundial em soluções flexíveis de espaços de trabalho, uma sala em condições inadequadas pode causar uma baixa expectativa e impressão negativa ao cliente ou prospecções. Um dos principais pontos vistos como negativos, além da falta de zelo, é a temperatura – 42% afirmam que os ambientes de reunião estão frequentemente quentes ou frios demais.

undefined
Divulgação
Principais motivos de reclamação entre os executivos brasileiros


Em particular, pequenas e médias empresas e start-ups afirmam que a boa impressão pode ser ponto crítico para fazer os seus negócios prosperarem e atrair novas empresas. “Em ambientes de negócios altamente competitivos, a primeira impressão faz muitas vezes uma grande diferença. Muitas empresas subestimam a importância da realização de reuniões em um ambiente elegante e limpo. Em salas de reunião flexíveis, o executivo pode alugar um espaço para todo tipo de evento ou negócio por quanto tempo desejar, com a garantia de uma infraestrutura altamente apropriada’’, afirma Otávio Cavalcanti, diretor da Regus Brasil.

Mais e menos insatisfeitos

Na frente do Brasil entre os insatisfeitos no estudo Dressed to Impress: The right location for success, a China foi o país com maior percentual de reclamações por salas de reuniões sujas, seguida da Índia. Já Alemanha, Holanda e França foram os países apontados como menos suscetíveis a deixar sujas suas salas de reunião.

undefined
Divulgação
Ranking de insatisfação com o estado de conservação de salas de reuniões


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários