Com Comperj parado, Petrobras adia entrada em operação de gasoduto do pré-sal
roberto rosa
Com Comperj parado, Petrobras adia entrada em operação de gasoduto do pré-sal

Após a paralisação das obras no Comperj (hoje chamado de Gaslub), a Petrobras admitiu que está reavaliando a data de início de operação do Projeto Integrado Rota 3, que tem como objetivo usar o gás do pré-sal. 

A rota 3 é uma rede de gasodutos que liga campos do pré-sal ao Comperj, que hoje se resume à construção de uma UPGN (Unidade de Processamento de Gás Natural). De lá, esse gás é tratado para ser injetado na rede. A quantidade maior de gás é essencial para acelerar os planos do governo de baratear o produto no Brasil. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

A previsão inicial era que a Rota 3 já estivesse em operação. Agora, está “previsto para o segundo semestre de 2022”. Mas a estatal não definiu um data. 

Segundo a estatal, o adiamento ocorre em “função da desmobilização da força de trabalho da empresa SPE Kerui-Método, responsável pelas obras da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) do Polo Gaslub, em Itaboraí, Rio de Janeiro”. 

Reportagem do GLOBO revelou que a UPGN terá novo aumento de custo e cerca de dois mil demitidos . Atualmente, não há uma previsão para que as obras sejam retomadas.  

A companhia esclareceu ainda em comunicado que “as desmobilizações ocorreram nas últimas semanas por decisão unilateral da empresa SPE Kerui-Método e, por este motivo, a obra está paralisada, sendo realizadas apenas atividades de preservação dos equipamentos e das instalações”.  

A estatal disse ainda que “está em dia com todos os seus compromissos com a referida empresa”. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários