Veja quais foram as criptomoedas com pior desempenho no 1º semestre de 2022
Lorena Amaro
Veja quais foram as criptomoedas com pior desempenho no 1º semestre de 2022

O primeiro semestre de 2022 foi desastroso para as criptomoedas. O Bitcoin (BTC) , por exemplo, desvalorizou cerca de 60% no período, saindo de US$ 47.800 no início do ano para atuais US$ 19.150.

Gráfico de preço do BTC no 1º semestre de 2022 - Fonte: CoinMarketCap

Gráfico de preço do BTC no 1º semestre de 2022 – Fonte: CoinMarketCap

Enquanto isso, o Ether (ETH) caiu de US$ 3.780 para US$ 1.040 no primeiro semestre. Ou seja, uma variação negativa de preço de mais de 70%.

Gráfico de preço de ETH no 1º semestre de 2022 - Fonte: CoinMarketCap

Gráfico de preço de ETH no 1º semestre de 2022 – Fonte: CoinMarketCap

Desempenho das principais altcoins

Se o desempenho das duas maiores criptomoedas do mercado no primeiro semestre de 2022 foi péssimo, foi ainda pior para algumas altcoins.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Entre as maiores criptomoedas por valor de mercado Solana (SOL), Avalanche (AVAX) e Polygon (MATIC) tiveram alguns dos piores desempenhos.

SOL saiu de US$ 178 no dia 1º de janeiro deste ano para um preço atual de US$ 32. Portanto, uma queda de cerca de 82% no primeiro semestre.

Gráfico de preço de SOL no 1º semestre de 2022 - Fonte: CoinMarketCap

Gráfico de preço de SOL no 1º semestre de 2022 – Fonte: CoinMarketCap

Da mesma forma, o token AVAX, que custava US$ 114 no início do ano viu seu preço despencar 86% para atuais US$ 16.

Gráfico de preço de AVAX no 1º semestre de 2022 - Fonte: CoinMarketCap

Gráfico de preço de AVAX no 1º semestre de 2022 – Fonte: CoinMarketCap

Já MATIC, da rede Polygon, saiu de US$ 2,58 em 1º de janeiro para US$ 0,45 no momento da escrita. Neste caso, a desvalorização foi de 82%.

Gráfico de preço de MATIC no 1º semestre de 2022 - Fonte: CoinMarketCap

Gráfico de preço de MATIC no 1º semestre de 2022 – Fonte: CoinMarketCap

Terra USD (UST) e LUNA

Enquanto algumas altcoins perderam quase 90% de seu valor, o mesmo não era esperado para as stablecoins. Afinal, a ideia é que essas criptomoedas mantenham seu preço estáveis.

Contudo, não foi assim para a Terra USD (UST), a stablecoin do ecossistema Terra (LUNA) . No mês de maio, a moeda perdeu sua paridade com o dólar e foi praticamente a zero.

Se no dia 1º de janeiro UST custava US$ 1, hoje ela custa US$ 0,049. Uma queda de mais de 95%.

Assim como Terra USD, quem foi a quase zero foi a criptomoeda LUNA. O preço da agora “Luna Classic” saiu de US$ 91 para US$ 0,00012. Ou seja, uma queda de praticamente 100%.

Tokens DeFi

Além do token DeFi AVAX, já mencionado, outros ativos do ecossistema de finanças descentralizadas também tiveram desempenhos desastrosos no primeiro semestre do ano.

O token FTM, por exemplo, do Protocolo Fantom, caiu 90%, ao sair de US$ 2,60 para US$ 0,24; o mesmo percentual de queda de SUSHI, que saiu de US$ 9,34 para US$ 0,97. De forma semelhante, o token CRV, da Curve, caiu 88% ao sair de US$ 5,50 para US$ 0,66.

Já o token GRT, do protocolo The Graph, caiu 85% de US$ 0,64 para US$ 0,092; o mesmo percentual de queda do token YFI, do Yearn Finance, que saiu de US$ 33.700 para US$ 5.260.

Tokens de Metaverso

Os tokens do metaverso , como MANA, de Decentraland, AXS, do Axie Infinity (AXS) e SAND de The Sandbox, também levaram uma surra.

O mais atingido dos três foi o token AXS, que registrou uma queda de 85% desde o início do ano. O token do game play-to-earn caiu de US$ 94 para US$ 14 nos últimos seis meses. Por sua vez, o token SAND também caiu 83% desde o início de 2022, passando de US$ 6 para US$ 1.

Da mesma forma, MANA, do Decentraland, registrou uma queda de preço de 75% no acumulado do ano, saindo US$ 3,32 e chegando a US$ 0,83 no momento da escrita.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários