Rodrigo Pacheco
Reprodução / Tv Cultura
Rodrigo Pacheco

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, sugeriu nesta sexta-feira (17) a votação do projeto que cria um fundo de estabilização para o preço dos combustíveis com parte dos lucros da Petrobras. A estatal anunciou hoje um reajuste de 5,18% no preço do litro da gasolina e de 14,35% no diesel. 

"Se a situação dos preços dos combustíveis está saindo do controle, o Governo deve aceitar dividir os enormes lucros da Petrobras com a população, por meio de uma conta de estabilização de preços em momentos de crise", publicou Pacheco em rede social. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Segundo o presidente do Senado, é inexistente o embate entre governo e Petrobras, já que a União é a acionista majoritária da estatal e sua diretoria indicada pelo Governo. 

O governo descarta acabar com o PPI (Preço em Paridade Internacional), política adotada em 2016 que obriga o reajuste automático de acordo com os preços internacionais do barril de petróleo do dólar. 

"Já que o Governo é contra discutir a política de preços da empresa e interferir na sua governança, a conta de estabilização é uma alternativa a ser considerada", sugeriu.

O projeto, de autoria do senador Jean Paul Prates (PT) cria um sistema de bandas de preços, que limitará a variação, e uma conta federal para financiar essa ferramenta. Além disso, estabelece um auxílio de até R$ 300 mensais para motoristas autônomos de baixa renda. O projeto segue para a Câmara dos Deputados.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários