Presidente da Câmara, Arthur Lira
Pablo Valadares/ Câmara dos Deputados
Presidente da Câmara, Arthur Lira

Logo após o presidente Jair Bolsonaro afirmar que um reajuste no preço dos combustíveis por parte da Petrobras será visto como um ataque com interesse político, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) também elevou o tom contra a estatal e convocou uma reunião de líderes para discutir a política de preços da empresa.

Em publicação nas suas redes sociais, Lira chamou a Petrobras de "República Federativa da Petrobras", indicando que a empresa estaria agindo de forma independente do governo. Segundo o deputado, a estatal estaria em "declarado estado de guerra" com o Brasil.

"A República Federativa da Petrobras, um país independente e em declarado estado de guerra em relação ao Brasil e ao povo brasileiro, parece ter anunciado o bombardeio de um novo aumento nos combustíveis", afirmou Lira.

Segundo o colunista do GLOBO, Lauro Jardim, a empresa irá anunciar o reajuste do preço dos combustíveis nesta sexta-feira.

Mais cedo, em transmissão nas suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro também pediu que a Petrobras não reajustasse o preço dos combustíveis e disse que veria o aumento como um ataque direto ao governo com interesse político.

Na quarta-feira, o presidente da Petrobras, José Ferreira Coelho, se reuniu com os ministros de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, e da Casa Civil, Ciro Nogueira. No encontro, alertou sobre a possibilidade de desabastecimento de diesel caso o preço do combustível não seja reajustado. Integrantes do governo, entretanto, minimizaram esse perigo.

Nas suas redes sociais, Lira disse que a Petrobras age como amiga dos interesses bilionários e inimiga do povo brasileiro e anunciou uma reunião entre as lideranças da Câmara para a discussão sobre a política de preços da Petrobras. Atualmente, a empresa segue a chamada paridade com o preço do petróleo no mercado internacional.

"Na segunda feira, estarei convocando uma reunião de líderes para discutir a política de preços da Petrobras. Política da Petrobras, que pertence ao Brasil e não à diretoria da Petrobras", disse Lira.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários