Plataformas de petróleo
Felipe Moreno
Plataformas de petróleo

A escalada no preço do petróleo no mercado internacional já é vista como uma mudança de patamar. O barril do Brent chegou a se aproximar dos US$ 140 este mês e tem permanecido acima dos US$ 100 após a invasão da Ucrânia pela Rússia. A avaliação de que preços maiores vieram para ficar desencadeou uma corrida por petróleo entre as empresas, que buscam acelerar investimentos.

A retomada, após dois anos de forte impacto no setor pela pandemia, se reflete na intenção de perfurar mais poços e na contratação de plataformas. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Mas essa arrancada súbita também tem impacto nos custos. A diária de equipamentos como sondas para exploração de petróleo, por exemplo, já supera o valor cobrado antes da pandemia, relatam as empresas.

A Petrobras, por exemplo, explica que o preço do petróleo pode influenciar a decisão sobre a viabilidade de projetos complementares de campos em produção.

Leia Também

Segundo projeções do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) o investimento no setor de petróleo no Brasil vai somar US$ 13,5 bilhões este ano, cerca de US$ 1 bilhão a mais que o ano anterior. Para 2023, a expectativa é que o volume chegue a US$ 20 bilhões.

Segundo o presidente do instituto, Eberaldo de Almeida Neto, o Brasil tende a atrair mais investimentos com a instabilidade política entre os maiores exportadores, como a Rússia, além dos constantes conflitos no Oriente Médio.

Conheça a avaliação das empresas sobre o cenário atual do petróleo e os planos delas para os próximos anos em reportagem do Globo para assinantes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários