O parque Hopi Hari, em Vinhedo (SP): recuperação judicial aprovada por credores
Divulgação
O parque Hopi Hari, em Vinhedo (SP): recuperação judicial aprovada por credores

O Hopi Hari obteve, na quarta-feira (2), a aprovação de credores para o plano de recuperação judicial do parque, que se arrasta desde 2016. Com isso, os atuais administradores vão se manter no controle da empresa.

Em nove horas de reunião, a maioria dos credores aprovou o prazo para pagamento de dívidas, o que confirma o bom momento vivido pelo complexo e entretenimento . Investimentos agressivos da atual diretoria e um preciso plano de gestão tornaram o local atrativo, com público acima do esperado, e ganhos além do previsto. 

"Agora é trabalhar para honrar todos os compromissos", comemora Alexandre Rodrigues, presidente do Hopo Hari. "Nós mostramos que em oito meses construímos um faturamento muito adequado para o reinício das operações e temos estudos financeiros que apontam a condição de seguir com os pagamentos", afirma.

No último ano, mesmo com a pandemia, o parque teve  faturamento recorde de R$ 98 milhões, sendo R$ 12 milhões de lucro e R$ 32 milhões de EBITDA — indicador financeiro que mostra a quantidade de recursos de uma empresa em suas atividades principais, sem considerar rendimentos ou isenções fiscais.

Em 2021, o Hopi Hari recebeu cerca de 733 mil visitantes no total, o que representa 4,9 mil pessoas por dia. Os números foram alcançados em apenas oito meses de atuação. Em razão das restrições provocadas pela pandemia de Covid-19, o parque só abriu as portas em 148 dias.

A atual administração do empreendimento comprovou a atuação perante os credores com documentos e a apresentação dos esforços para manter o parque funcionando, mesmo com um expressivo passivo herdado. 

"Prevejo um futuro bem leve, muito comprometido como sempre fomos, mas com muito trabalho. Precisamos nos reconstruir e tirar essa imagem negativa que criaram ao longo de cinco anos de recuperação judicial. Esse é apenas o primeiro passo", afirma Alexandre Rodrigues.

Investivementos e resultados

Segundo Rodrigues, o parque deverá receber R$ 150 milhões em investimentos nos próximos cinco anos. Além de expansão, o Hopi Hari planeja novas atrações para os próximos meses.

Leia Também

"Acreditamos que esses valores serão fundamentais para dar um upgrade em atrações, além de ajudar na modernização do parque e melhorias para viabilizar nosso projeto".

Para 2022, a expectativa é que Hopi Hari gere uma receita de até R$ 160 milhões e receba em torno de 1 milhão de pessoas.

Para isso, além de investir em protocolos de segurança, que contam com certificação internacional e classificam o parque como um dos mais seguros do mundo, foram feitos inúmeros reparos no último ano. Entre eles estão o melhor processamento da fila, ajustes no no sistema de climatização, melhorias na Tirolesa, no Rio Bravo, em restaurantes e lojas, reforma no espaço de aniversários e a inclusão de novos produtos nas lojas para melhorar o faturamento.

Continuidade administrativa

A aprovação do plano de recuperação judicial na assembleia de credores garante, de maneira definitiva, a continuidade da gestão do parque, que vinha sendo alvo de repetidas tentativas de destituição por grupos investidores. 

A presença de credores como o BNDES, SLW, Prevhab e Mirai demonstrou a confiança no plano apresentado pelo parque.

No fim de janeiro, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou que a atual diretoria do Hopi Hari não pode ser afastada das atividades do parque e intervenções judiciais só podem ser feitas em caráter excepcional.

A corte também optou por afastar a possibilidade de análise de ofertas de empresas concorrentes, que foram apresentadas em novembro de 2021 por Wet’n Wild, Beto Carrero e Play Center para fazer a quitação da dívida aos credores que colocou o Hopi Hari em Recuperação Judicial.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários