Crise faz rotativo do cartão bater recorde em outubro
Cartão de Crédito
Crise faz rotativo do cartão bater recorde em outubro

Depois de dois anos de recorde na concessão de crédito, que subiu 21,7% durante a pandemia, 2022 tem tudo para ser um ano de inadimplência e de maior dificuldade para obter empréstimos.

As primeiras evidências disso já são visíveis. A que mais chama a atenção é o fato de que o brasileiro nunca recorreu tanto ao rotativo do cartão de crédito quanto agora.

Esse tipo de financiamento — o mais caro do mercado — alcançou R$ 21,6 bilhões concedidos em outubro, maior valor da série histórica do Banco Central e 29,9% superior ao do mesmo mês de 2019, antes da crise provocada pela Covid-19.

Em outubro, a taxa de juros do rotativo chegou a 343,55% ao ano, a mais alta desde 2017 após quatro meses seguidos de elevação.

Apelar para o rotativo e parcelar faturas viraram recursos inevitáveis para o trader esportivo Daniel Cury, de 30 anos, nos últimos meses. Com renda mensal oscilando desde o começo da pandemia, o morador do Rio diz já ter usado o crédito do cartão mais de uma vez para despesas mensais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários