Black Friday:
FreePik
Black Friday: "atraso na entrega" já é a principal reclamação dos consumidores

A Black Friday 2021 mal começou, e os consumidores já estão enfrentando problemas com as suas compras. Um levantamento realizado pelo site Reclame Aqui  mostra que "atraso na entrega" já é a principal reclamação dos compradores nas primeiras horas de promoção. 

Segundo a plataforma, entre a meia-noite e as 17 horas de quinta-feira (25), foram 210 queixas desse tipo. O número representa um aumento de 162%, comparado à véspera da Black Friday em 2019.

Já em relação às reclamações gerais, desde o início do monitoramento, ao meio dia de quarta-feira (24), até as 17 horas de ontem, a Black Friday 2021 já acumula 41,4% mais reclamações em relação ao mesmo período da edição passada. Até agora, os consumidores que entraram no site do Reclame Aqui  já registraram 4.387 reclamações sobre a Black Friday deste ano.

O CMO do Reclame Aqui , Felipe Paniago, alerta que é preciso estar atento às promessas de prazos de entrega muito curtos. “Registre todas as etapas do seu processo de compra e guarde todos os e-mails enviados pela loja, para se certificar de que o prazo de entrega vai ser cumprido e garantir que você terá maneiras de realizar uma troca, caso seja necessário, ou cobrar a empresa pelo produto”.

Novos prazos de entrega

Um dos fatores que contribuem para o aumento das reclamações, segundo o Reclame Aqui , é a mudança nos prazos de entrega. No ano passado, as reclamações sobre atraso começaram apenas nos dias e semanas seguintes à promoção, quando os consumidores comunicavam que não haviam recebido os produtos no tempo prometido. 

Leia Também

Às vésperas da Black Friday, as principais queixas costumavam ser sobre propaganda enganosa, problemas com pagamento ou disponibilidade de produtos. Isso mudou quando as empresas passaram a oferecer prazos de entrega cada vez menores. No Rio de Janeiro e em São Paulo, grandes varejistas online começaram a prometer entregas para o dia seguinte, depois, para o mesmo dia e, finalmente, para poucas horas após as compras.

Os novos prazos de entrega viraram uma das formas de as lojas virtuais tentarem se manter como uma alternativa para compras rápidas, competindo até mesmo com as lojas físicas. Esse movimento se acelerou no ano passado, com o comércio físico fechado por causa das medidas de restrição dadas pela pandemia de Covid-19. Neste ano, isso continuou, mesmo com a reabertura das lojas de rua e dos shoppings.

Os produtos oferecidos também mudaram

Outro motivo que levou ao aumento das reclamações foi a mudança no padrão de produtos que passaram a ser oferecidos com descontos na Black Friday. Com a  alta da inflação e a renda cada vez menor , produtos de consumo como sabão, fraldas e até itens de mercearia, como arroz e feijão, começaram a ser ilustrados nas páginas de ofertas das grandes lojas virtuais.  

“São tipos de produtos que supermercados já costumavam entregar no mesmo dia. Mas até eletrônicos pequenos, como celulares, estão sendo vendidos com entrega prometida em até três horas na capital paulista. Eletrônicos maiores, como aparelhos de TV, estão sendo vendidos para entrega no dia seguinte”, afirma o Reclame Aqui .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários