TCU acredita que certame foi direcionado para favorecer uma única empresa
Divulgação
TCU acredita que certame foi direcionado para favorecer uma única empresa

O Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu, na quarta-feira (17), um processo de licitação da Aeronáutica para compra de equipamentos de tecnologia por suspeita de favorecimento para uma das concorrentes. A informação foi publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo .

Segundo o tribunal, a Aeronáutica teria exigido marcas específicas para as máquinas, o que teria elevado o preço da concorrência e reduzido o número de empresas participantes no certame.

Para o TCU, a licitação teria sido direcionada para a Tamandaré Technology, empresa que já prestou servidos à Aeronáutica pelo menos 3 vezes entre 2007 e 2011. Segundo os técnicos do tribunal, a Tamandaré receberia R$ 27,5 milhões para o fornecimento dos equipamentos.

No pregão, a FAB solicitava 65 equipamentos, sendo que 59 seriam direcionados ao Estado-Maior da Aeronáutica (Emaer) e 6 para a NAV Brasil, estatal criada pelo governo Bolsonaro em 2020.

Os investigadores devem dar prosseguimento a análise do processo nas próximas semanas. Tanto a Aeronáutica quanto a Tamandaré Technology têm 15 dias para prestar esclarecimentos sobre as suspeitas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários