Estudo realizado pelo Insper contraria diagnósticos anteriores
shutterstock
Estudo realizado pelo Insper contraria diagnósticos anteriores

Um estudo feito por economistas do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) indica que a desigualdade social no Brasil caiu de forma ininterrupta entre 2002 e 2015 e voltou a aumentar em 2016 e 2017.

A pesquisa foi divulgada pela Folha e mostra que todas as fatias da população adulta brasileira, dividida em cem partes iguais, situadas abaixo dos 29% mais ricos, registraram crescimento em suas rendas anuais acima da média nacional de 3% no período analisado.

No mesmo intervalo, as parcelas da população distribuídas acima desse recorte tiveram crescimento médio anual entre 2,4% e 2,9%. As duas fatias próximas ao topo da pirâmide da riqueza foram exceção.

Os novos resultados apresentados pelo Insper contrariam outros dois diagnósticos apresentados anteriormente. No retrato do rendimento dos mais ricos, o primeiro estudo mostrava que a desigualdade era mais alta do que se imaginava e permanecia estável.

A segunda conclusão era ainda mais preocupante: pesquisadores do World Inequality Lab apresentaram cálculos que apontaram aumento da disparidade na distribuição de recursos.

O trabalho realizado pelo Insper será apresentado publicamente, pela primeira vez, na segunda-feira (25), em um webinar promovido pelo instituo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários