De olho no nicho, bancos então têm ido além de oferecer as tradicionais contas universitárias e buscam atrair o público com cartões de crédito com vantagens exclusivas
Fernanda Capelli
De olho no nicho, bancos então têm ido além de oferecer as tradicionais contas universitárias e buscam atrair o público com cartões de crédito com vantagens exclusivas

Para muitos brasileiros, a vida universitária e a profissional começam juntas. É através de um estágio ou emprego em outro turno que eles começam a dar os primeiros passos na carreira. E, concomitantemente, têm os primeiros boletos a pagar. De olho no nicho, bancos então têm ido além de oferecer as tradicionais contas universitárias e buscam atrair o público com cartões de crédito com vantagens exclusivas.

"Para o banco, é uma boa oportunidade de recrutar esta pessoa, fidelizar e estar com ela ao longo da vida inteira. Assim, tem a possibilidade de conhecer melhor o cliente e, conforme a renda dele aumenta e as necessidades mudam, pode oferecer outros produtos, que são mais rentáveis, como financiamento veicular e imobiliário", explica Gustavo Moreira, coordenador do MBA de Finanças do Ibmec RJ.

O Santander, por exemplo, calcula que os clientes que entraram no banco como universitários são mais engajados, gerando 40% mais receita, em relação aos clientes que não ingressaram no banco como universitários.

"Acreditamos no vínculo que este processo gera com o banco e queremos que o universitário de hoje seja o nosso melhor cliente no futuro", aponta Rogério Panca, diretor de Cartões do Santander.

Para isso, recentemente, o banco estreou um novo cartão de crédito, o “SX Universitário”, no lugar do antigo “Play”, com um mecanismo simplificado para isenção de anuidade, contratação on-line e limite extra para pagamentos de mensalidades conveniadas aos bancos. As vendas de cartões de crédito para universitários cresceram 30%.

O Banco do Brasil tem o Ourocard Universitário Visa Internacional, que atende desejos do público, como autoatendimento pelo celular e anuidade gratuita. Mas o banco também definiu uma estratégia de comunicação para rejuvenescer sua cartela de clientes.

"A campanha publicitária tem uma linguagem jovem e dinâmica, de fácil entendimento e assimilação. A divulgação na internet e nas redes sociais traz o foco no limite de R$ 1.500 para universitários. E a novidade é que estamos no TikTok", conta Tarciana Paula, gerente executiva de experiência e soluções para pessoa física do BB.

Você viu?

Finanças organizadas desde o princípio

Para o cartão de crédito não virar uma cilada, Klaus Suppion, coordenador de Ciências Contábeis da Universidade Metodista de São Paulo, diz que universitários, mesmo começando a estagiar e ganhando pouco, devem organizar a vida financeira:

"Gestão financeira é premissa básica para qualquer profissional. Muitas pessoas dizem que a gente não fica rico com o quanto a gente ganha, mas sim com o quanto a gente gasta e consegue economizar."

A recomendação é que profissionais se habituem a guardar cerca de 30% do salário. Mas o especialista aponta que, ainda mais importante do que o universitário conseguir economizar, é investir na própria formação. E demais gastos podem ser controlados por meio de planilha ou aplicativo.

"É indicado ter uma base de dados para registrar as informações e acessá-las de forma rápida, para saber se você pode ou não gastar", diz.

E nada de ir além do seu fôlego financeiro.

"Recomendo até que pague tudo à vista. Parcelar apenas de forma muito planejada. Não dá para se iludir que vai ter como pagar uma compra daqui a 30 dias e parcelar sem real condição, pois atrasar a quitação de uma fatura gera juros exorbitantes", diz Gustavo Moreira, coordenador do MBA de Finanças da Ibmec.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários