Ibaneis Rocha defendeu amplitude em debates sobre a reforma do Imposto de Renda
Reprodução
Ibaneis Rocha defendeu amplitude em debates sobre a reforma do Imposto de Renda

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse nesta segunda-feira (23) que a proposta de reforma no Imposto de Renda adiada na Câmara dos Deputados é prejudicial ao ministro da Economia, Paulo Guedes. A declaração foi dada em reunião com governadores para debater a crise entre os Poderes da República.

Segundo Rocha, o problema na proposta está em quem propôs a matéria e ressaltou os prejuízos para a população.

"É ruim por conta do Paulo Guedes, foi ele que encaminhou", afirmou.

"Na posição de todos os governadores e na minha, de forma especial, é uma reforma totalmente atabalhoada. Vai trazer um prejuízo para estados e municípios na ordem de R$ 15 bilhões. É inadmissível neste momento de retomada da economia, em que as despesas dos estados estão muito grandes", concluiu. 

Você viu?

Governadores e prefeitos criticam a proposta relatada pelo deputado federal Celso Sabino (PSDB-PA) e reiteram a possibilidade de perda de receita dos estados e municípios caso a proposta seja aprovada. Sabino, no entanto, ainda tenta convencer os chefes do Executivo estaduais e municipais a apoiarem o texto em tramitação na Câmara. 

"Não traz nada de simplificação na cobrança dos tributos. É uma reforma muito ruim. Eu já disse isso em várias oportunidades e reafirmo o quão ruim é esse projeto", ressaltou Rocha.  

"Temos que tratar, sim, de uma reforma tributária. Mas tratar dentro de uma lógica para simplificar, para garantir as condições do investidor. E ainda tratar de outros temas que podem ampliar a capacidade de investimento no Brasil como fazem outros países", afirmou Wellington Dias (PT), governador do Piauí.

A proposta de reforma do Imposto de Renda chegou a ser colocada em pauta na Câmara dos Deputados em três oportunidades, sendo a última na terça-feira da semana passada. A votação, entretanto, foi adiada devido à indefinição com governadores sobre a redução na arrecadação. O presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), pretendia retomar o assunto nesta semana, mas o governo estuda a possibilidade de deixar o apoio a reforma do IR para discutir com mais profundidade a proposta. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários