CGU cobrou que a Previdência Social abra investigação
Reprodução: ACidade ON
CGU cobrou que a Previdência Social abra investigação

A Controladoria Geral da União (CGU) encontrou 25 mil Benefícios de Prestação Continuada (BPC) pagos irregularmente, e pediu para ser aberta uma investigação interna no INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), segundo adiantou o portal Metrópoles.

As inconsistências encontradas pelo órgão de controle apontam que estes beneficiários não tinham Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) em situação "regular".

As regras para conseguir o BPC incluem estar com o cadastro regularizado, bem como prevê o corte do benefício em caso de “inconsistências ou insuficiências cadastrais que afetem a avaliação da elegibilidade do beneficiário”. 

“Apesar disso, constatou-se que não existe monitoramento sobre CPF em situação diferente de ‘Regular’, haja vista as normas não serem explícitas sobre tal exigência para a concessão e a manutenção do BPC”, assinalou a CGU, na auditoria.

“Por fim, a partir das informações apresentadas pelo INSS, constata-se que apesar de grande parte dos achados da CGU terem sido detectados pelo SCVBEN e constarem da fila de análise do QDBEN, os benefícios permaneciam sem análise conclusiva até fevereiro de 2021, demonstrando dificuldade da autarquia em dar tratamento tempestivo aos casos detectados, especialmente considerando a existência de diversas outras demandas geradas pelo sistema, além das relacionados com o BPC”, finalizou.

Para evitar erros como esse, a Previdência está realizando um pente-fino  nos beneficiários.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários