Varejo recua 1,7% em junho após dois meses de alta
Sophia Bernardes
Varejo recua 1,7% em junho após dois meses de alta

As vendas do varejo brasileiro registraram recuo de 1,7% em junho, em relação a abril, depois de dois meses de alta, de acordo com dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgados nesta quarta-feira.

Especialistas ouvidos pela Reuters previam alta de 0,7% no mês. Com o resultado, o setor acumula alta de 6,7% em 12 meses, e, agora, se encontra 5,9% acima do nível pré-pandemia.

“Com o resultado de junho, há uma quebra de dois meses de crescimento. Apesar dessa queda, o varejo ainda se encontra acima do patamar de fevereiro de 2020, ou seja, de antes da pandemia. Mas, na comparação com o patamar recorde da série, que é de outubro de 2020, o setor está 3,9% abaixo”, afirma o gerente da pesquisa, Cristiano Santos, em nota.

Analistas e empresários do setor estimam que o avanço da vacinação tende a reduzir a necessidade de restrições à mobilidade e aumentar a confiança dos consumidores.

Índice de Confiança do Comércio (ICOM), do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV, subiu 5,1 pontos em julho, ao passar de 95,9 para 101,0 pontos, nível mais alto desde janeiro de 2019 (102,3 pontos).

Por outro lado, o desemprego que se mantém no patamar recorde, a inflação alta e o crédito mais caro, em razão da elevação dos juros, desafiam a resiliência do comércio na retomada no segundo semestre e impactam o consumo das famílias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários