Funcionários da unidade São José dos Campos (SP) da GM devem ficar afastados até agosto
Reprodução
Funcionários da unidade São José dos Campos (SP) da GM devem ficar afastados até agosto

A General Motors sugeriu suspender o contrato de 250 funcionários da unidade de São José dos Campos (SP), afirma o Sindicato dos Metalúrgicos da cidade. As negociações iniciaram nas últimas semanas, após a necessidade da empresa em paralisar as produções devido à falta de peças

A montadora propôs a suspensão com base na medida provisória (MP) que prevê a redução de jornadas e salários , imposto pelo governo federal para aliviar os gastos de empresas durante à pandemia. A medida, de acordo com a empresa, valeria entre os dias 12 de julho e 25 de agosto. 

O sindicato ressaltou que os funcionários devem aceitar a proposta, mas dependerá da certeza de manutenção dos empregos de trabalhadores afastados. A preocupação dos representantes é que a GM siga o mesmo caminho de outras montadores e demita empregados em meio à pandemia. 

"Em assembleia realizada nesta terça-feira, os trabalhadores decidiram que só aceitarão a suspensão de contratos se a medida vier, obrigatoriamente, acompanhada de estabilidade no emprego para todos, enquanto vigorar o acordo", afirmou o sindicato, em comunicado. 

Nesta quarta-feira (07), haverá uma reunião entre representantes do sindicato e a diretoria da montadora para efetivação da proposta de suspensão de contratos. No entanto, a confirmação da medida será votada em assembleia dos funcionários marcada para quinta-feira (08)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários